fbpx
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Entrevista: Haddad quer expandir Linha 13-Jade e trazer Metrô a Guarulhos

Haddad abraça eleitora
Foto: Diogo Zacarias
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Petista apresentou suas propostas para Guarulhos

O candidato ao Governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), detalhou suas propostas para Guarulhos. Entre as ações, está a expansão da Linha 13-Jade da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) para Bonsucesso, a vinda do Metrô a Guarulhos e a conclusão do Rodoanel Norte.

Haddad apresentou suas propostas, com exclusividade, ao GRU Diário, que enviou os mesmos questionamentos a todos os candidatos. Foram publicadas as entrevistas com Tarcísio de Freitas (Republicanos), Elvis Cezar (PDT)Vinícius Poit (Novo) e Altino Júnior (PSTU). Os demais concorrentes não responderam. Se houver envio dos materiais, os textos serão publicados.

Confira a entrevista com Haddad

Qual é a sua principal proposta para o Estado de São Paulo?

Fernando Haddad – Primeiro vamos zerar o ICMS da carne e da cesta básica, medida que vai na contramão do que foi feito pela atual gestão, que aumentou impostos dos alimentos durante a pandemia. Também vamos aumentar o salário mínimo paulista para R$ 1.580, recuperando as perdas da inflação e aumentar o poder de compra do povo. E vamos implantar progressivamente o Bilhete Único Metropolitano que irá integrar os transportes municipais e estaduais.

O Rodoanel Norte está com as obras paradas desde 2018. O senhor promete concluir a construção do trecho, que liga as cidades de Arujá, Guarulhos e São Paulo? De que forma isso será feito?

Fernando Haddad – Nos comprometemos a concluir as obras até o final do primeiro mandato. Vamos analisar os contratos e cobrar para que todas as obras sejam concluídas, não só do Rodoanel como de todas as outras 800 que estão paradas.

A Linha 13-Jade da CPTM possui apenas as estações Aeroporto e Parque Cecap em Guarulhos. Qual é a sua proposta para expandir a companhia em Guarulhos?

Fernando Haddad – Nosso programa prevê inicialmente a expansão da linha 13 até o Bonsucesso e o Pimentas. Como governo sério trabalha com planejamento, nós vamos revisar os projetos de expansão, avaliar os modelos de concessão e, a partir daí, fazer projetos factíveis que saiam do papel.

O que posso garantir é o nosso compromisso, primeiramente, de finalizar as obras em andamento, mas principalmente de modernizar e ampliar as linhas da CPTM e expandir ainda mais o Metrô, encurtando os tempos de percusso e dando mais qualidade de vida ao nosso povo.

Qual é o seu projeto para a chegada do Metrô em Guarulhos?

Fernando Haddad – A chegada do metrô até Guarulhos está contemplada em nosso plano de Transporte e Mobilidade. Vale ressaltar que, assim como no que diz respeito à CPTM, a expansão das linhas metroviárias será feita somente a partir de estudos detalhados sobre a situação dos contratos vigentes. Conforme respondido na pergunta anterior, a expansão até o aeroporto está entre as prioridades.

Quais os seus projetos para as escolas estaduais?

Fernando Haddad – Vamos criar o Alfabetiza SP, programa estadual de alfabetização na idade certa em colaboração com os 645 municípios paulistas. O programa vai estabelecer metas de alfabetização, valorizar os municípios e escolas que atingirem os resultados e garantir um forte apoio para os municípios com mais dificuldades. A gestão vai assessorar os municípios com formação de professores e gestores escolares, material didático de qualidade e monitoramento da alfabetização

Vamos também qualificar e continuar a ampliação das escolas em tempo integral, em especial nas regiões mais vulneráveis do estado, garantindo oferta adequada de professores, qualidade pedagógica, condições de infraestrutura, inclusão dos alunos mais vulneráveis e escuta da comunidade.

Aproveito para destacar também que o nosso programa de governo tem propostas que contemplam todas as faixas etárias e níveis educacionais, além, claro, de iniciativas para combater a evasão escolar e valorização dos professores da rede estadual.

O Núcleo Cabuçu, em Guarulhos, foi o único do Parque Estadual da Cantareira que não foi concedido à iniciativa privada. Há algum projeto para o local?

Fernando Haddad – A primeira medida que vamos tomar é investir na gestão de unidades de conservação do Estado já existentes, incentivando a pesquisa, o lazer, a educação ambiental, o ecoturismo e a conservação ambiental, em especial nos parques estaduais, como é o caso do Cabuçu.

Em relação às áreas protegidas já concedidas à iniciativa privada, como parques urbanos, parques  estaduais, estações experimentais e unidades de conservação, vamos revisar pontos do programa de concessões a fim de garantir que todos os parques mantenham o seu caráter público, servindo à comunidade.

Guarulhos conta com dois hospitais estaduais (Hospital Geral de Guarulhos e Complexo Hospitalar Padre Bento). O senhor pretende instalar outro equipamento de saúde na cidade?

Fernando Haddad – Nossa proposta para a saúde prevê a construção, nos quatro primeiros anos, de 70 Hospitais Dia, 10 na região metropolitana e 60 para serem distribuídos em todas as regiões do Estado. São pequenos equipamentos onde você faz o exame, a consulta de especialidades e cirurgia eletiva de caráter ambulatorial, que é aquela que você não precisa de internação. Com um hospital para cada 400 mil habitantes, vamos desafogar a fila de espera e a ocupação de leitos em hospitais regionais como os de Guarulhos. 

Outra proposta que anunciei nos últimos dias é destinar 100% dos recursos da Nota Fiscal Paulista para a área da Saúde no Estado. A ideia de utilizar a NFP como fonte de recursos para a Saúde é continuar contemplando as entidades que já são beneficiadas e ampliar ainda mais o número de locais atendidos. Algo possível de ser feito e que geraria um importante suporte para locais como as Santas Casas, por exemplo, que hoje passam por sérias dificuldades financeiras, algumas correndo o risco de fechar as portas.

De que forma é possível fomentar o crescimento da economia paulista e a geração de empregos?

Fernando Haddad – O Estado de São Paulo precisará de medidas urgentes e inovadoras para superar a crise. Uma delas é a criação do Sistema Estadual de Inovação.

A iniciativa reunirá toda produção científica paulista, sobretudo à feita pelas universidades, para gerar empregos e atrair de volta as empresas que “fugiram” de São Paulo durante a pandemia, além colocar a gestão em sintonia com o que há de mais moderno em tecnologia e sustentabilidade.

O setor privado também terá papel fundamental no sistema para criar um ambiente de negócios e atrair empregos de qualidade para a população. Vamos criar o maior ciclo de investimentos públicos de São Paulo desde o Plano Real para dar um choque de inovação no Estado. Outra medida que tomaremos para aquecer o mercado e gerar empregos está na retomada das mais de 800 obras paralisadas no Estado.

Qualificar o ensino médio de São Paulo, hoje de qualidade inferior quando comparado com o restante do País, e ampliar a oferta de cursos técnicos profissionalizantes também estão nos nossos planos.

Guarulhos possui apenas 20% do esgoto tratado, apesar de possuir três estações de tratamento do esgoto. Qual é a expectativa de universalizar o tratamento de esgoto na cidade até 2026?

Fernando Haddad – Guarulhos é a segunda maior cidade do Estado de São Paulo e a 13ª do Brasil. Portanto, precisa receber atenção especial também no que diz respeito ao tratamento de esgoto.

Em nosso programa de governo a política ambiental terá centralidade, com a recriação da Secretaria de Meio Ambiente, cuja extinção no governo Doria/Rodrigo expõe o descaso histórico com o tema no estado. O saneamento receberá a atenção necessária para avançar em direção à universalização, atendendo os ainda 1,7 milhão de paulistas que não possuem abastecimento de água e os 14,2 milhões que carecem de esgoto tratado.

Também acho importante dizer que a Sabesp não será privatizada. A Sabesp tem uma missão muito importante de garantir o saneamento do Estado.

Apesar da queda dos índices criminais, os guarulhenses registram mais de 17 mil roubos/furtos por ano. Como melhorar esses indicadores?

Fernando Haddad – A recuperação do setor de segurança pública do Estado de São Paulo passa pela valorização salarial dos policiais aliada a um plano de metas para combater a criminalidade.

Isso quer dizer que, quanto mais casos solucionados, mais dinheiro no bolso do PM e do Civil. Vamos acabar com o desmonte das nossas corporações começando pela criação de um plano de carreira para esses profissionais. Polícia valorizada é população segura.

A proposta está dentro do nosso Plano Estadual de Segurança Pública que ainda contempla medidas como priorizar o enfrentamento às organizações criminosas, com criação de Força Tarefa Permanente envolvendo as polícias civil e militar, Ministério Público, Receita Federal e Polícia Federal, mapear o dinheiro do crime e atuar nas estruturas de comando das organizações criminosas, redução da letalidade policial, com novo Protocolo Operacional Padrão e a manutenção de câmeras no fardamento para todo efetivo operacional da Polícia Militar.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM