PUBLICIDADE

Parra propõe OAB atuante em defesa da sociedade guarulhense

Foto: Lupacom
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram

PUBLICIDADE

Confira entrevista com o candidato da chapa 3 à OAB Guarulhos

Ex-tesoureiro da OAB Guarulhos (Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Guarulhos), o advogado Alexandre Parra disputa pela primeira vez a eleição para a presidência da entidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Parra encabeça a Chapa 3 “Renovar é a Ordem”. No caso da Seccional paulista, ele apoia Dora Cavalcanti.

De acordo com Parra, a OAB precisa resgatar o protagonismo na cidade, em prol não só dos advogados, mas de toda a sociedade. O candidato pretende implementar um curso interino de prerrogativas, além de criar um portal da transparência.

GRU Diário publica nesta semana entrevistas com os candidatos à OAB Guarulhos, com os mesmos questionamentos. Além de Parra  hoje, a conversa com Edson Belo saiu na segunda-feira (22), enquanto as respostas de Abner Vidal foram publicadas ontem (23). A eleição ocorre nesta quinta-feira (25), das 9h às 17h, na UNG Centro.

Confira a entrevista:

Qual é o principal desafio para OAB – Guarulhos?

Alexandre Parra – Resgatar a credibilidade que a nossa instituição vem perdendo perante a sociedade e a própria advocacia.

Há décadas se discute a importância de uma sede própria para entidade. O que fazer para fazer essa proposta sair do papel?

Alexandre Parra – Primeiro passo é se fazer presente junto à Seccional Paulista. É ela que possui a responsabilidade de implementar esta questão frente à necessidade de nossa Subseção. Mas, penso que, temos que buscar tutelar local onde efetivamente ficarão, de maneira definitiva, os nossos tribunais, bem como a Justiça do Trabalho em nossa Comarca, haja vista que não estão em prédios próprios. Não faz sentido algum avançarmos neste quesito sem enfrentarmos esta realidade.

No passado os nossos tribunais ficariam distribuídos no Parque Cecap. Imagine se tivéssemos construído a nossa Sede naquela localidade. Será que estaria servindo a advocacia nos tempos de hoje?

A pandemia trouxe muitas dificuldades para várias categorias, inclusive a advocacia. Como dar suporte aos profissionais com dificuldade financeira?

Alexandre Parra – Entendo que esta questão deva ser enfrentada com as ferramentas que já existem junto a OAB e a CAASP. Entendo que podemos ainda incrementar com suporte à advocacia, da jovem à veterana, com o impulso empreendedor, laboratório do escritório piloto, suporte técnico e cursos interinos de práticas e procedimentos judiciais, fortalecendo as comissões temáticas, fazendo a valorização regional da advocacia com o projeto de mentoria. Todos esses projetos e propostas estão apresentados pela nossa chapa.

Como a OAB deve atuar na defesa das prerrogativas advocatícias?

Alexandre Parra – Respeito se conquista, não se impõe. Partindo desta premissa, entendo que devemos enfrentar esta realidade com o rigor da Lei, tornando públicos os atos atentatórios às prerrogativas da advocacia. E isto será feito com a implementação do portal da transparência, onde ficarão registrados todos os que violarem as nossas prerrogativas, para que a advocacia tome ciência de quem são, onde e quando as nossas prerrogativas foram afrontadas. Iremos também implementar curso interino de prerrogativas, para que a advocacia de Guarulhos esteja preparada para enfrentar esta realidade. E vamos além: preparar e disponibilizar uma comissão atuante e que enfrente essa questão com o respeito e celeridade.

Historicamente, a OAB se destaca por atuar em causas em prol da sociedade. Quais assuntos devem ser prioridade, neste aspecto, em sua gestão?

Alexandre Parra – Iremos retomar o protagonismo em nossa cidade, na defesa dos interesses da sociedade, bem como dos direitos humanos, com o recorte na defesa e combate à violência contra a mulher e a criança, ao racismo, dentre outros temas de relevância a nossa sociedade.

De que forma encara a discussão sobre a redução da anuidade da entidade?

Alexandre Parra – Neste contexto, entendemos que se faz necessária uma política de enfrentamento junto à Seccional Paulista, haja vista que esta questão é de sua competência. A Seccional, por sua vez, deve pormenorizar e disponibilizar à advocacia paulista o destino das anuidades recolhidas. Entendo que já está em tempo desses valores serem revistos ao patamar que já foram objeto de discussão judicial, que limitou ao teto de R$ 500 e, até a presente data, não foi implementado.

O que os guarulhenses podem esperar da OAB, nos próximos três anos, caso seja eleito?

Alexandre Parra – Uma entidade ativa na busca da defesa dos interesses não somente da advocacia de Guarulhos, mas sim de toda sociedade de Guarulhos. Uma OAB independente e transparente, buscando sempre a valorização da advocacia perante a sociedade e, por fim, mais plural, sem dono, onde todas e todos tenham espaço e voz.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE