fbpx
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Guti quer enviar lei dos comissionados ainda este mês e admite possível redução salarial

Guti cargos
Foto: Eurico Cruz
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Projeto que vai ser encaminhado à Câmara pode ter redução no número de cargos ante 1,2 mil cargos extintos por inconstitucionalidade

O prefeito Guti (PSD) afirmou, neste sábado (20), que quer enviar para à Câmara Municipal, ainda este mês, o projeto que cria cargos comissionados na estrutura da Prefeitura de Guarulhos para repor as 1,2 mil vagas que foram extintas em janeiro por conta de uma ação direta de inconstitucionalidade.

“Se necessário for a redução de cargos vamos reduzir mais ainda. Já reduzimos mais de 40% na minha primeira gestão, em 2017, quase 2 mil cargos reduzimos para praticamente mil, e agora, se necessário, reduziremos mais ainda e, também, se necessário for, por questão orçamentária, reduziremos os salários, mas a gente não pode afirmar ainda porque a gente não fechou o projeto de lei”, disse o prefeito durante a entrega de uma Praça da Cidadania no Pimentas.

Foram extintos os cargos de assessor de unidade (R$ 2.550,15), assessor de gestão pública (R$ 3.135,69), assessor de secretaria e coordenadoria (R$ 4.189,03) e assessor de políticas municipais (R$ 6.997,19),

Embora tenha dito que quer “muito” enviar o projeto até o final deste mês, o prefeito afirmou que o projeto está em construção com diversos órgão para evitar novas constatações jurídicas.

“Nós estamos construindo um diálogo com outros setores, tanto com Judiciário, Ministério Público, para que a gente consiga aprovar um projeto que ele perdure. Não é um projeto do Guti, tem que ser um projeto da cidade de Guarulhos, então um projeto que não seja objeto amanhã de contestação jurídica”, ressaltou o prefeito.

Além do trabalho em si, os cargos de confiança são utilizados, em todas as esferas e governos políticos, independente de qual partido esteja à frente, para realocar aliados e garantir apoio político aos projetos do Executivo no Legislativo.

Vale ressaltar que existem questionamento sobre a criação de cargos comissionados desde a gestão do ex-prefeito Sebastião Almeida (à época no PT, hoje no PDT).

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM