PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Veja as 25 linhas da EMTU que atendem Guarulhos campeãs de reclamações

Foto: Divulgação/Governo de SP
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Passageiros se queixam de atrasos, superlotação e mau atendimento               

A campeã de queixas entre as linhas da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo) que ligam Guarulhos a São Paulo é a 342 (Jardim Cumbica/Parque Brasília – Metrô Armênia), a um custo de R$ 7,55 a passagem. 


Foram realizadas 28 reclamações entre janeiro e junho de 2020 relacionadas prioritariamente ao tempo de espera excessivo, aos motoristas que não param no ponto para o embarque de passageiros (inobservância de ponto), superlotação e mau atendimento aos usuários por parte do motorista.

As informações foram obtidas pelo GRU Diário com base em dados da EMTU obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação (Lei Federal nº 12.527/2011). A reportagem separou o ranking com as 25 linhas mais reclamadas nos primeiros seis menos deste ano (veja abaixo). Juntas, as linhas somam 391 queixas. 

Todas as reclamações foram recebidas através da Ouvidoria e da Central de Atendimento ao Cliente (CAC) da EMTU. As queixas apontadas se referem principalmente ao horário, superlotação das linhas, inobservância de ponto e mau atendimento ao passageiro. 

A EMTU atende a região de Guarulhos com 111 linhas intermunicipais operadas pelos consórcios Internorte e Unileste.

“Vi de tudo um pouco nessa linha”, afirma passageiro. 

O inspetor de segurança, Fernando Daniel Ferreira da Silva, de 48 anos, é morador da Vila Isabel, em Guarulhos. Há um ano e seis meses, Silva usa a linha 342 para trabalhar em Santo Amaro (zona sul da capital). 

Ele disse que “já viu de tudo um pouco nessa linha”. Uma das queixas é a superlotação, problema apontado nos dados obtidos pela reportagem via Lei de Acesso à Informação (LAI). “Ônibus lotado, na maioria das vezes, principalmente quando quebra e ficam todos esperando o próximo, pois tem um trecho de Cumbica que só passa o 342, e aí fica um caos”, contou.

Em seu trajeto, Silva presenciou motoristas que não param no ponto para o usuário embarcar e outros que arrumam briga no trânsito. Ao mesmo tempo, avalia que os condutores também são vítimas. “Por mais que nós passageiros soframos no transporte, as maiores vítimas são os motoristas. Eles, além de ter o cuidado no transporte, tem que fazer a parte do cobrador, liberar a catraca em certas situações. A meu ver, é desnecessário e agora tem que ficar cobrando o uso de máscara”, disse.

Ele apontou mais um problema: a estrutura precária de alguns veículos. “As condições dos ônibus da linha são horríveis, velhos, sucateados, quebram a todo momento. Já peguei um que tinha um rasgo no assoalho que, infelizmente, só notei quando estava chegando na Armênia. E o pior, havia chovido”, afirmou. 

Por todos os problemas da linha 342, Silva acredita que o preço da passagem é alto e não reflete o serviço oferecido pela EMTU. “Sinceramente, pelo valor da tarifa de R$ 7,55 deveríamos ter coisa muito melhor”, ressaltou. 

A moradora do Macedo, Ana Carolina Cordeiro Santos, 33 anos, reclama do longo tempo de espera pela linha 555 (Cocaia/Metrô Armênia), com tarifa de R$ 6,25. Ela costuma aguardar até uma hora para conseguir embarcar. “O tempo de espera é absurdo. Se eu perco o que sai às 21h, tenho que mudar a minha rota. O próximo sai uma hora depois”, contou Ana Carolina. 

A linha 555 possui 15 reclamações no ranking elaborado pelo jornal. Entre elas, superlotação, direção perigosa e atrasos da linha em relação aos horários das partidas ou ao não cumprimento da programação horária determinado pela EMTU.

Ranking das linhas mais reclamadas

Transporte intermunicipal durante a pandemia 

As linhas da EMTU que atendem passaram por mudanças desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março deste ano, que afetaram os passageiros.

Em abril, a empresa Atual Viação deixou de operar seis linhas de transporte intermunicipal na cidade de Guarulhos. As empresas Vila Galvão e Transdutra passaram a operar as linhas em conjunto.

A Prefeitura de São Paulo retirou de circulação, em maio, cinco linhas da EMTU que ligavam Guarulhos ao Metrô Armênia e Metrô Brás para “evitar a sobreposição de trajetos na ligação com a cidade”. Apenas uma delas, a 016 (Terminal Urbano Guarulhos-Metrô Armênia), voltou a circular em 17 anos, com intervalos de mais de três horas entre os ônibus.

A linha 593TRO (Haroldo Veloso – Metrô Brás), que passava pelo Jardim Cumbica, foi incorporada pela 096 que tem os mesmos pontos de partida e de chegada, mas com deslocamento pelo Jardim Lenize. Em julho, a EMTU aumentou a frota e viagens em 13 linhas que ligam Guarulhos aos Metrôs Tucuruvi, Armênia e Penha.

A EMTU havia solicitado a criação da linha 073BI1 – Guarulhos (Parque das Nações) – São Paulo (São Miguel Paulista), que ligaria o bairro do Pimentas à Capital e ainda teria como parte de seu trajeto Bonsucesso. O pedido foi negado pela Prefeitura de São Paulo.

Outro lado

Em nota, a EMTU informou ao GRU Diário que “as reclamações registradas na Ouvidoria e Central de Atendimento ao Cliente são encaminhadas às áreas de Fiscalização e Planejamento, contribuindo para o aprimoramento da Operação, seja pelo direcionamento das ações da Fiscalização ou por reprogramação dos serviços, quando os estudos realizados constatam frequente ocupação dos veículos acima do permitido. Todas irregularidades apontadas são apuradas e, constatada culpa por parte das empresas concessionárias, estas estão sujeitas às sanções contratuais.  

Ressaltamos que a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM)  está com a “Operação Monitorada” desde o início da quarentena devido à oscilação da demanda. A circulação das linhas tem sido acompanhada diariamente, por faixa horária e em pontos estratégicos das regiões metropolitanas. Esse trabalho é realizado pelos fiscais da EMTU e sempre que constatada a necessidade, a tabela horária pode ser flexibilizada e novos veículos podem ser acrescentados à frota”.

Canais de atendimento aos usuários

Os passageiros podem fazer reclamações na Ouvidoria da EMTU, aqui e aqui;  pelo Fale conosco, aqui; no telefone 0800 724 0555.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM