fbpx
PUBLICIDADE

TCU suspende implantação de trem entre terminais do aeroporto e Linha 13 da CPTM

people mover
Foto: Divulgação
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Decisão do ministro Vital do Rêgo afirma que não foram estudados outros modelos de transporte para o mesmo serviço

O ministro Vital do Rêgo, do Tribunal de Contas da União, decidiu suspender de forma provisória, em despacho emitido nesta quinta-feira (16), a implantação do People Mover entre o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica, e a Estação Aeroporto da CPTM.

De acordo com o ministro, foram apresentadas as vantagens do people mover para o serviço, mas nenhum outro modelo de transporte foi avaliado.

“Na gestão pública, não se escolhem soluções apenas porque são de última
geração ou porque são as mais baratas. Há uma composição de avaliações no meio do
caminho, em que se precisa precificar nível de serviço, objetivos alinhados à concepção
da política pública, efetiva demanda por aquele tipo de transporte, possibilidade de
subsídios ao longo do tempo, custos ambientais, entre outros”
, diz o ministro.

O termo aditivo entre a concessionária GRU Airport, que administra o aeroporto de Guarulhos, e o Ministério da Infraestrutura para viabilizar o transporte foi assinado no dia 8 deste mês.

Na ocasião foi anunciada a visita do presidente Jair Bolsonaro (sem Partido) a Guarulhos, sendo cancelada um dia depois.

A previsão é que a obra comece em janeiro e dure 24 meses. Estão previstos R$ 271,7 milhões de investimentos no novo transporte, que busca solucionar um problema antigo: a deficiência no acesso do público aos terminais de passageiros de Guarulhos. Atualmente, o trajeto em questão é feito por ônibus disponibilizados pela concessionária.

Com a suspensão, o ministro determina que seja entregue o resultado das análises sobre a apresentação das novas propostas de preços das empresas selecionadas para a implantação do projeto, eventuais alterações da matriz de riscos, bem como os impactos no reequilíbrio econômico-financeiro no contrato de concessão firmado com a GRU Airport, e caso considere já ter entregado esses dados, informe em qual documentação estaria sua posição final.

A reportagem questionou a GRU Airport e o Ministério da Infraestrutura e assim que obtiver uma resposta atualizará esta matéria.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM