PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

“Não tivemos outra alternativa”, diz secretário de segurança sobre a morte de Lázaro

Secretário de Segurança de Goiás, Rodney Miranda (a dir.), durante coletiva de imprensa. (Foto: Reprodução/TV Globo)
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Criminoso ameaçou e descarregou uma arma contra os policiais, afirma Rodney Miranda

O Secretário de Segurança de Goiás, Rodney Rocha Miranda, disse durante uma coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira (28), que o assassino Lázaro Barbosa, de 32 anos, foi socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.


O corpo foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) de Goiânia onde será reconhecido pela família e liberado para o sepultamento. 

O secretário conta que durante o cerco policial, em Águas Lindas de Goiás, o criminoso ameaçou os policiais dizendo que daria “tiros na cara” e descarregou uma arma durante troca de tiros contra os agentes que participaram de sua captura.

“Não tivemos outra alternativa se não revidar. Nenhum policial foi ferido e não deixamos ele machucar mais ninguém. Hoje encerramos uma etapa importante”, afirma o secretário. 

Segundo Miranda, os próximos passos na investigação visam a identificação de suspeitos que teriam acobertado Lázaro nos 20 dias em que ele fugiu da polícia. Uma força-tarefa com mais de 270 homens foi mobilizada para a captura do criminoso. 

“A investigação não acaba aqui, ainda temos pessoas para prender, mais gente a buscar. Vamos até o último envolvido nesse crime”, ressalta Miranda. 

O secretário acredita que Lázaro Barbosa seria um matador de aluguel e segurança de fazendeiros (jagunço), por isso tinha uma rede que o acobertava. “Era patrocinado. Tinha gente não interessada na prisão dele”, diz Miranda. Miranda também cogita que as mortes seriam encomendadas por fazendeiros com o objetivo de reduzir o preço de terrenos e imóveis na região (especulação imobiliária).

Na última semana, um fazendeiro e o caseiro dele foram presos por suspeita de abrigar Lázaro. O dono da fazenda continua detido. Lázaro ainda teria procurado a ex-mulher e ex-sogra para pedir abrigo. As duas estão sendo ouvidas pela polícia.

Lázaro é suspeito de matar quatro pessoas da mesma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e um caseiro de uma fazenda em Girassol, em Goiás. Em 2008, ele foi condenado e preso pela morte de dois homens e possui acusações de estupro e roubo.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM