fbpx
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Justiça determina que Gol procure por cadela Pandora e pague despesas do tutor

Foto: Reprodução/Instagram
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Juíza ainda estabelece que o dono da Pandora poderá realizar busca na área interna do Aeroporto de Guarulhos

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) determinou nesta quarta-feira (5) que a Gol Linhas Aéreas deve procurar pela cadela Pandora e arcar com as despesas de hotel e de alimentação durante 30 dias do tutor Reinaldo Gomes Junior e da mãe dele.

Junior procura por Pandora desde 15 de dezembro quando, segundo a Gol, a cadela escapou da caixa de transporte durante conexão no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica. O tutor contesta a versão da empresa e afirma que não teria como Pandora ter escapado.

O tutor entrou com ação contra a Gol e a GRU Airport, que administra o aeroporto, após ter a hospedagem no hotel cancelada nesta segunda-feira (3) e a buscas por Pandora encerradas pela Gol sem conseguir entrar na área do aeroporto.

Um vídeo publicado pelo tutor nas redes sociais mostra Pandora andando pela pista e Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Em sua decisão, a juíza Fabiana Feher Recasens ainda determina que a GRU Airport autorize a entrada do tutor e da equipe contratada na área interna do aeroporto, bem como toda a extensão interna do terminal, “considerando-se que ainda há esperanças de sua localização”, ressaltou a magistrada. Caso não cumpra com a medida, a multa diária prevista é de R$ 5 mil.

“Deve a ré GRU, ainda, apresentar as filmagens internas desde o dia 15 de dezembro, data do desaparecimento de Pandora, para que os autores possam tentar identificar o caminho percorrido pelo animal, facilitando sua localização, diz trecho da ação.

A Gol também terá que contratar o serviço de BuscaPet por mais dez dias para auxiliar nas buscas.

O tutor da Pandora comemorou a decisão nas redes sociais.

“A primeira vitória, logo será a mais importante: encontrar a Pandora. Continuamos procurando por ela. E agora contratamos uma assessoria jurídica. Pra quê? Pra buscar no Judiciário que a Gol Linhas Áreas cumpra suas obrigações. Estamos em Guarulhos para continuar as buscas pela Pandora que desapareceu durante o serviço de transporte da Gol”, escreveu.

Nos últimos dias as buscas por Pandora estão sendo feitas por voluntários e pela equipe do delegado Bruno Lima, ativista da causa animal.

Ontem (5), foram colocadas armadilhas na mata que fica na região da rodovia Hélio Smidt, onde Pandora foi vista, para tentar recuperar a cadelinha. 

Em nota, a GRU Airport informa que “adotará as providências necessárias ao cumprimento da decisão do TJSP. A concessionária esclarece que, por questões legais e de segurança, só pode autorizar o acesso ao aeroporto e às imagens, a partir de solicitação das autoridades competentes.”

Quem tiver informações sobre o paradeiro de Pandora pode entrar em contato com Reinaldo nos telefones (81) 99611-8997 (WhatsApp) e (81) 99241-1983

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM