fbpx
PUBLICIDADE

Vídeo: teste da Sabesp assusta moradores do Bela Vista com invasão de fumaça nos imóveis

Sabesp - fumaça
Foto: enviada ao portal
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Moradores negam que tenham sido informados sobre o teste para localizar ligações irregulares de despejo de água da chuva no esgoto

Moradores do bairro Bela Vista se disseram surpreendidos por um teste da Sabesp que joga um produto na rede de esgoto para produzir fumaça e denunciar se há ligações de esgoto irregulares pelos moradores dos imóveis para despejo da chuva.

A vistoria aconteceu nas praças Juscelino Kubitischek de Oliveira e Kasatu Maru, Rua Angola, Rua Antônio Carlos Pires e Rua Mineápolis, entre outras no bairro Jardim Almeida Prado.

A Sabesp afirmou que avisou os moradores antecipadamente, mas pessoas que moram na região afirmaram ao GRU Diário que não receberam nenhum aviso. Em alguns casos, com a fumaça dos equipamentos saindo dos ralos de algumas casas, alguns moradores chegaram a pensar que se tratava de um princípio de incêndio.

“Eles lançaram um gás, um líquido, dentro da tubulação de esgoto, eu estava no quarto e minha mãe apareceu falando que tava saindo fumaça de todos os ralos, que tava tendo um incêndio. Quando eu saí na rua tinha um monte de casa na mesma situação”, disse um morador.

“Parece até uma banana de dinamite. Eles jogam na rede de esgoto e a fumaça vai saindo pelos ralos. Teve casos de sair no ralo do banheiro”, contou outro morador.

A reportagem questionou a Sabesp sobre o ocorrido. De acordo com a companhia, a vistoria realizada no bairro identificou diversos imóveis que lançam águas de chuva no sistema da rede pública de coleta de esgoto.

“O método utilizado no teste está dentro dos padrões de segurança, tendo sido utilizado produtos atóxicos. A Companhia segue à disposição pelos canais de atendimento aos clientes: telefones 195 e 0800 055 0195 (ligações gratuitas) e pela Agência Virtual no site www.sabesp.com.br”, diz a nota da Sabesp.

No Estado de São Paulo, o decreto 5.916/75 determina a regra que estabelece que os imóveis tenham duas saídas: a de esgoto, que recolhe os resíduos do vaso sanitário, do chuveiro, das pias e do tanque (e é uma tubulação de menor porte, já que esse volume não costuma sofrer grandes variações); e saída de água pluvial, maior, que reúne a água da chuva que escoa pelos ralos e calhas. Os tubos devem ser separados para que o esgoto seja enviado para tratamento e para que as águas de chuva sejam encaminhadas para córregos, rios ou piscinões.

Segundo a companhia, nesta vistoria foram identificados diversos imóveis que lançam águas de chuva no sistema da rede pública de coleta de esgoto.

As sanções para estes casos podem envolver desde uma advertência para regularização como a aplicação de multas, tendo como base o valor do maior salário mínimo vigente no Estado, na seguinte proporção: 

  • – as infrações leves, de um terço a três vezes;
  • II – as infrações graves, de quatro a seis vezes;
  • III – as infrações gravíssimas, de sete a dez vezes;

Vale ressaltar que mais vistorias do tipo devem ocorrer em Guarulhos.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM