fbpx
PUBLICIDADE

Tony Auad: Justiça frustra projeto imobiliário de Silvio Santos em bairro histórico de SP

Foto: Alan Santos/PR
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Decisão judicial proíbe Prefeitura de autorizar construção de três prédios em área do bairro Bixiga que pertence a Silvio Santos

Tony Auad
Foto: Divulgação

Hoje inicio a minha coluna comentando a polêmica em torno do interesse do Grupo Silvio Santos em construir um projeto imobiliário no terreno do parque do Rio Bixiga, em São Paulo.

A Justiça proibiu a Prefeitura de autorizar a construção, sob pena de multa diária de 5 mi à empresa Residencial Bela Vista e desfazimento imediato das obras. Em razão dessa determinação, o Grupo Silvio Santos recorreu.

A informação foi confirmada pela imprensa que afirmou que a sentença foi publicada em 31 de dezembro de 2021, assinada pela Juíza Paula Micheletto Cometti. A referida determinação foi distribuída para as partes envolvidas.

Esse terreno vive um imbróglio há mais de 40 anos. Isso porque, desde 1090, o local é centro de uma disputa, envolvendo o Teatro Oficina, seu diretor, Zé Celso, movimentos populares e o Grupo Silvio Santos.

A empresa do dono do SBT pretendia construir ali três torres de até cem metros de altura. O projeto previa mil apartamentos, com mil vagas de garagem e andares de subsolo que poderiam atingir o rio que corre embaixo do terreno.

Por esse motivo a juíza fez a proibição. Ela alegou que as torres poderiam causar danos ambientais e danos ao patrimônio histórico, cultural e arquitetônico, causando grande prejuízo a história do Bixiga diante da existência de áreas tombadas como: Bairro do Bixiga, O Castelinho da Brigadeiro, O Teatro Oficina, O Teatro Brasileiro de Comédia, A Casa da Dona Yayá, Escola Primavera de Letras e Arcos da Rua Jandaia.

Em outra época, o projeto do Grupo Silvio Santos até chegou a ser aprovado pelos três orgãos de patrimônio: Condephaat (Conselho da Defesa Histórica, Arqueológico, Artístico e Turístico Cultural e Ambiental da cidade de São Paulo).

Em 2017, o Teatro Oficina acionou o Ministério Público Federal (MPF) para tentar proteger o prédio e seu entorno, onde Silvio Santos quer construir três torres residenciais de 100 metros de altura cada uma. Porém a decisão ocorreu dias depois do Grupo de atores  do Oficina se manifestar contra a ideia do dono do SBT.

Frase Final:  O Reconhecimento faz parte do comportamento de cada um.   

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM