fbpx
PUBLICIDADE

Tanqueiros fazem paralisação contra alta do diesel; Bolsonaro promete auxílio para compensar preço

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Presidente disse que vai ajudar cerca de 750 mil caminhoneiros sem detalhar critérios

Transportadoras de combustíveis fazem paralisação nesta quinta-feira (21) contra o preço do do diesel, gás de cozinha, gasolina e outros derivados do petróleo. 

Segundo o Sindtanque-MG, caminhoneiros de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo aderiram ao movimento. 

Em Minas Gerais, cerca de 1.500 caminhões estão fora de operação e não há previsão para retomar as atividades. 

“Não aguentamos mais as altas dos combustíveis. O diesel representa hoje quase 70% do custo do frete. As transportadoras estão quebrando. Enquanto o governo não der uma satisfação para a categoria, a categoria não vai voltar a trabalhar”, disse o presidente da entidade, Irani Gomes, à Folha.

No Rio de Janeiro, os tanqueiros impediram a entrada de caminhões nas distribuidoras de Campos Elísios, na Baixada Fluminense segundo o Sindicomb (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes)

Na segunda-feira (18), grupos de caminhoneiros prometem fazer greve em 1º de novembro caso o governo não reduza o preço do diesel, além de outras reivindicações

Para compensar a alta do preço do combustível, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido)) prometeu, nesta quinta (21), pagar um auxílio a cerca d 750 mil caminhoneiros autônomos. No entanto, Bolsonaro não deu detalhes sobre os critérios para fornecer o benefício. 

Ele esteve em Pernambuco para participar do evento Jornada das Águas: Inauguração do Ramal do Agreste.


(com informações da Folha)

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM