fbpx
PUBLICIDADE

Rodrigo Garcia quer levar unidades da Fábrica de Cultura 4.0 e Fábrica da Cultura Móvel para o interior

Rodrigo Garcia e Museu do Ipiranga
Foto: Divulgação
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Em visita ao Museu do Ipiranga, governador de São Paulo falou dos planos para a cultura

Expandir as Fábricas de Cultura 4.0 e levar o programa Fábricas de Cultura Móvel para o interior do estado. Essa é um dos compromissos assumidos pelo candidato à reeleição, governador Rodrigo Garcia (PSDB), que apresentou nesta segunda-feira (29) seu plano de governo para a cultura durante visita ao Novo Museu do Ipiranga, que será reinaugurado em setembro.

“Investir em cultura não é só investir em nossa história, é formar uma sociedade consciente de suas responsabilidades e também é investir em emprego e renda. Por isso, vamos reforçar aquilo que foi um acerto da política cultural do estado de São Paulo, que são as Fábricas de Cultura, inicialmente levadas para a periferia da cidade de São Paulo e que agora expandiremos para o interior com unidades fixas e com unidades móveis para atender a população mais vulnerável”, declarou Rodrigo Garcia.

As Fábricas de Cultura foram criadas em São Paulo para fomentar a cultura tradicional na periferia da capital paulista. Até o início de 2019 o projeto contava com 11 unidades em bairros como Capão Redondo, Jardim São Luiz, Brasilândia, Vila Nova Cachoeirinha, oferecendo cursos de teatro, música e dança. Em 2019 se transformaram em Fábricas de Cultura 4.0, quando passaram a oferecer cursos ligados a tecnologia e ao mundo digital, como games, artes digitais, robótica, edição de imagens, vídeos e fotografia digital.

Foram inauguradas unidades na Região Metropolitana de São Paulo, como em Diadema, Osasco e São Bernardo do Campo, e em breve vão ser entregues novas fábricas no interior e no litoral, como em Ribeirão Preto e Santos.

“As Fábricas de Cultura 4.0 oferecem cursos de edição de imagem, edição de som, robótica para que essa molecada possa se preparar para o mercado de trabalho. Estamos fazendo estudos técnicos para levar as Fábricas de Cultura Móveis para que seja possível atuar nos territórios mais vulneráveis”, reforçou Garcia.

Ao lado de representantes da USP (Universidade de São Paulo) e de parceiros do projeto do Novo Museu do Ipiranga, Garcia assegurou novos investimentos para a preservação da história e incentivo à arte.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM