Error: Embedded data could not be displayed.
Error: Embedded data could not be displayed.
Error: Embedded data could not be displayed.
Error: Embedded data could not be displayed.

PSL estadual quer anulação de convenção partidária municipal e manutenção de pré-candidatura de Néfi Tales

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Foto: Reprodução/Facebook
Error: Embedded data could not be displayed.

Presidente Municipal, Matheus Tolentino disse não existe mais anulação no que tange à realização da convenção

A disputa de poder pelo PSL de Guarulhos continua a tomar rumos inesperados. A executiva estadual do partido notificou o diretório municipal com pedido de anulação da convenção realizada na segunda-feira, 31, em que o ex-vereador Eduardo Kamei foi homologado como candidato a vice-prefeito na chapa de Fran Corrêa (PSDB) e ocorreu a expulsão de Néfi Tales Filho, pré-candidato a prefeito.

Com a decisão, Néfi Tales seria mantido como pré-candidato da legenda e sua desfiliação pela comissão anulada.

De acordo com Néfi Tales, embora a determinação tenha sido encaminhada pelo diretório estadual, a iniciativa teria partido do próprio presidente nacional, o deputado federal Luciano Bivar (PSL).

“Foi o Bivar, por meio do diretório nacional, que entrou em contato com o diretório estadual.
Todos os atos, da convenção e da minha expulsão, estão anulados”, disse Tales.

Segundo Tales, a ação, que busca colocar o PSL ao lado do PSDB de Guarulhos nas eleições, é um desrespeito ao candidato do partido por contrariar a candidatura própria da legenda em Guarulhos e “favorecer uma outra candidata que iria levar o PSL a reboque do PSDB.”

Tales ainda teceu críticas contra Fran Corrêa. “Este ato foi antidemocrático, coronelista, completamente ditador, que não cabe à democracia brasileira”, disse.

Presidente municipal do partido, Mateus Tolentino Alan Bisneto confirmou a notificação feita peo diretório estadual, mas disse que está foi feita com vícios, pós-convenção e não tem embasamento para cancelamento. “Não existe mais anulação partidária no que tange à realização. Ata da convenção já estava e está registrada no sistema candex, da Justiça Eleitoral. Não há mais nada que possa ser feito por hora”.

Tolentino se baseia no fato de a convenção ter seguido as normas estipuladas pelo PSL nas convenções partidárias, como a publicação do edital 48 horas antes da convenção ser realizada.

A reportagem entrou em contato com a Executiva nacional do partido e com o diretório estadual da legenda, mas não recebeu retorno de ambos até o momento.

Error: Embedded data could not be displayed.
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram

Veja também...

Error: Embedded data could not be displayed.
Error: Embedded data could not be displayed.