PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Presidente da Proguaru diz que Guti não queria extinguir a empresa

Foto: Reprodução/Facebook/Câmara de Guarulhos
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Carone prestou depoimento à Comissão Especial de Estudos da Câmara

O presidente da Proguaru, Francisco Carone, afirmou que o prefeito de Guarulhos, Guti (PSD), foi contrário inicialmente à extinção da empresa. Ele prestou depoimento, na tarde desta terça-feira (24), na Comissão Especial de Estudos (CEE) da Proguaru, na Câmara Municipal.

De acordo com Carone, a indicação para o fechamento da empresa foi de estudo realizado pela Secretaria de Fazenda. “O prefeito foi contra a decisão original”, disse.

Carone está na presidência da empresa de economia mista desde junho de 2018. Ele afirmou que, neste período, a Proguaru chegou a dar lucro em 2019, mas com “manobras que não conseguem ser feitas a longo prazo”.

Segundo Carone, há mais de dez anos o TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) aponta falhas na empresa. Ele argumenta que a Proguaru passou a dar prejuízo por causa de diversos impostos não pagos, além de ações trabalhistas interpostas por sindicatos. O presidente informou que o Plano de Demissão Voluntária ainda está em andamento.

Estudo da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), finalizado no mês passado, confirmou o diagnóstico da Prefeitura de que a situação da Proguaru é de falência. Pela lei aprovada, a empresa deve encerrar as atividades até o final deste ano.

Um grupo de trabalhadores da empresa conseguiu coletar 13 mil assinaturas para que a legislação possa ser revogada através de um referendo a ser realizado em outubro de 2022. A Justiça Eleitoral ainda avalia a convocação do pleito.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE