PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Prefeitura devolve leitos alugados após queda em taxa de ocupação de UTIs

Hospital Pimentas Bonsucesso
Foto: Divulgação/PMG
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Sem os leitos da rede particular, índice de ocupação de UTIs é de 60,9%

Em razão da queda significativa na taxa de ocupação de leitos destinados ao tratamento da covid-19 ao longo do último mês, Guarulhos encerrou nesta segunda-feira (2) o contrato de locação de vagas em hospital privado, que estava em vigor desde o dia 6 de março deste ano.

A medida começou a ser estudada no início de julho, quando a lotação das UTIs e enfermarias exclusivas para pacientes com coronavírus começou a cair para percentuais abaixo de 60%, indicador que baixou ainda mais a partir do último dia 20, ficando menor que 50%.

De acordo com dados extraídos do sistema Cross às 11h desta terça-feira (3), no consolidado de todos os hospitais da cidade, incluindo os estaduais e municipais, mas já sem o serviço privado, a taxa de ocupação de leitos de UTI reservados exclusivamente ao tratamento de pacientes com covid-19 está em 60,9% nesta data, enquanto que a de enfermaria está em 46%.  

Com o avanço da vacinação em Guarulhos, que já iniciou nesta segunda-feira a imunização de pessoas com 25 anos ou mais, a Secretaria da Saúde espera que essa tendência de queda se mantenha ao longo dos próximos meses.

Depois de um período de quedas consecutivas no último quadrimestre de 2020, as taxas de ocupação de leitos voltaram a subir em Guarulhos no início de março deste ano, situação que ficou mais crítica em meados daquele mês, quando a lotação das UTIs atingiu 95,8% e a de enfermarias, 87,4%. Da mesma forma, na época, os hospitais da Grande São Paulo registravam 90% de ocupação.

“Com todos os esforços que estamos realizando, após longos meses de batalha contra a covid-19, começamos a ver perspectivas de melhora. No entanto, todos os cuidados preventivos devem ser mantidos, como o uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social. Vai passar. Juntos somos mais fortes!”, destacou o secretário-adjunto de Saúde, Michael Rodrigues de Paula.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE