fbpx
PUBLICIDADE

PF apreende 12 kg de cocaína dentro de bagagens com auxílio de cães farejadores

Foto: Divulgação/Polícia Federal
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Três passageiros foram presos em flagrante

A Polícia Federal prendeu, na madrugada desta quinta-feira (18), três passageiros que tentaram embarcar com droga para o continente africano. 

A detenção dos suspeitos de tráfico de drogas ocorreu em duas ações que contaram com a participação dos agentes da Receita Federal e de cães farejadores.

Ao todo, foram apreendidos 12 quilos de cocaína escondidos dentro das malas transportadas pelos suspeitos. Os três presos serão apresentados à Justiça Federal.

Aparelhos eletrônicos

Um passageiro, de 36 anos, teve suas bagagens submetidas ao aparelho de raio-x onde os policiais visualizaram diversos aparelhos eletrônicos em seu interior. Durante a inspeção dos equipamentos, os agentes encontraram 3 quilos de cocaína escondidos dentro de um aquecedor

O suspeito foi preso em flagrante. De acordo com a PF, o homem, nacional da Nigéria, ingressou no Brasil em 2013, onde havia solicitado refúgio.

Cães farejadores

Os servidores da Receita Federal que atuaram com o auxílio de cães farejadores Grace, Scooter e Utte apreenderam drogas em bagagens que seriam despachadas em voo para a Etiópia. Os cães selecionaram algumas malas suspeitas que passaram pelo raio-x. Dentro delas havia substâncias orgânicas compactadas.

Um brasileiro, de 25 anos, foi preso com mais de 2 quilos de cocaína em suas malas. O suspeito disse à polícia que levaria a droga para a Nigéria. A PF identificou que em nome do suspeito há uma empresa, cujo capital soma R$ 26 milhões, que ele afirma desconhecer.

Pulseiras e miçangas

Outro passageiro que foi beneficiado pela Lei do Refúgio, ingressando no país em 2014, escondia quase 7 quilos de cocaína dentro de 158 pulseiras feitas de resina e miçangas.

O homem, nacional de Serra Leoa, de 41 anos, tinha como destino final a cidade de Conakri, na Guiné.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM