fbpx
PUBLICIDADE

Pacheco afirma que vai cumprir decisão do STF e instalar CPI da covid-19 no Senado

Rodrigo Pacheco
Foto: reprodução/TV Senado
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Ministro Barroso determinou abertura de investigação sobre condução do combate à pandemia pela gestão Bolsonaro

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), teceu críticas, mas afirmou, nesta quinta-feira (8), que irá cumprir decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal) e instaurar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre a condução da pandemia da covid-19 pela gestão do governo de Jair Bolsonaro (Sem Partido).

A oposição conseguiu recolher 32 de 27 assinaturas necessárias para abertura da CPI. De acordo com Barroso, todos os critérios para abertura de uma CPI foram atendidos e o presidente do Senado não pode se omitir deste fato.

“O perigo da demora está demonstrado em razão da urgência na apuração de fatos que podem ter agravado os efeitos decorrentes da pandemia da Covid-19”, definiu o ministro do STF.

O ministro do STF também encaminhou sua decisão para o Plenário da Casa, para que os demais ministros chancelem ou derrubem a decisão dele.

De acordo com Pacheco, a determinação do STF será cumprida, antecipa o processo eleitoral de 2022 e provoca ainda mais instabilidade no País, afastando investidores.

“Eu considero que Comissão Parlamentar de Inquérito de pandemia neste momento vai ser um ponto fora da curva. Para além de um ponto fora da curva, pode ser o coroamento do insucesso nacional do enfrentamento da pandemia”, argumentou Pacheco.

A decisão da abertura da CPI é negativa para o governo de Bolsonaro, que sofre pressão para aquisição de vacinas, questiona o uso de máscaras e do isolamento social e se vê sem condições de auxiliar os brasileiros financeiramente.

Parlamentares da oposição avaliam que sobram fatos que comprovam a falta de ação e o negacionismo da pandemia da covid-19, como recordes diários de mortes pela doença e uma vacinação extremamente lenta.

Já aliados avaliam que a CPI pode custar caro ao governo Bolsonaro e torná-lo novamente refém do Centrão.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM