fbpx
PUBLICIDADE

Justiça obriga Guarulhos a restringir acesso a comércios, shoppings e serviços

Foto: Reprodução
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Procuradoria cobra Prefeitura por flexibilizar quarentena sem atender critérios da gestão Doria

A Procuradoria Geral do Estado obteve uma liminar, no Tribunal de Justiça de São Paulo, que obriga o prefeito de Guarulhos, Guti (PSD), a alterar o decreto de flexibilização da quarentena. Com isso, os comércios, shoppings e serviços terão que reduzir o horário de funcionamento de seis para quatro horas diárias. Salões de beleza e barbearias serão proibidos de funcionar.

Em nota, Guti informou que vai se pronunciar sobre o caso na live de hoje, às 19h, nas redes sociais. Em outras transmissões pela internet, porém, ele já tinha informado que poderia retroceder das medidas se tivesse uma decisão judicial desfavorável ou houvesse crescimento da ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pela pandemia do novo coronavírus.

Guti liberou a reabertura dos comércios no Dia dos Namorados, em 12 de junho, enquanto o Plano São Paulo, liderado pelo governador João Doria (PSDB), previa o mecanismo apenas três dias depois. Segundo a Procuradoria, o plano de Guti desrespeita a fase laranja – imposta ao Alto Tietê.

Para avançar para a fase amarela, com funcionamento dos comércios e serviços por seis horas, além do funcionamento de bares, restaurantes e salões de beleza, é preciso que a região do Alto Tietê reduza o crescimento de novas internações pela covid-19. De acordo com balanço divulgado hoje pelo Estado, Guarulhos pode continuar na fase laranja até o final de julho.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM