PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Jovem fica preso três anos por assalto em Guarulhos que não cometeu

Foto: Reprodução/TV Globo
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Projeto Inocência foi fundamental para garantir a liberdade de Igor Barcellos Ortega

O estoquista Igor Barcellos Ortega, 24 anos, foi solto após ter ficado três anos preso por dois crimes cometidos em Guarulhos, dos quais ele não teve nenhuma participação. O caso, que foi resolvido graças à atuação do Projeto Inocência, ganhou destaque no Fantástico, da TV Globo, neste domingo (4).


Uma quadrilha com quatro integrantes roubou um carro e um celular na rua Monsenhor Paulo, no Taboão. Em seguida, tentou executar outro roubo na rua Pedro de Toledo, no mesmo bairro. Contudo, a vítima era um policial militar que reagiu e disparou cinco tiros que atingiram Rodrigo Andrade. O suspeito conseguiu chegar ao Hospital Municipal de Urgências (HMU), no Bom Clima, onde foi preso.

No mesmo dia, Igor estava na festa de um amigo, no Jardim Corisco, na capital paulista. Em seguida, ele foi abastecer a motocicleta em um posto de gasolina e foi abordado por uma pessoa mascarada que disparou um tiro em sua perna. Ele foi levado ao Hospital do Jaçanã.

Igor foi abordado pela Polícia Militar, no hospital, e considerado suspeito de participação dos crimes em Guarulhos. O policial que disparou os tiros não o reconheceu, contudo, a vítima do roubo do carro disse que o conhecia.

A Polícia Civil jamais investigou o crime sofrido por Igor e ele foi considerado réu pelos crimes em Guarulhos. Ele acabou condenado pela Justiça.

O Projeto Inocência assumiu a defesa de Igor, após pedido de sua mãe, Elizabeth Barcellos. Ela conseguiu acesso às câmeras de segurança do local onde seu filho foi baleado que confirmavam que não tinha relação com os crimes de Guarulhos.

O Tribunal de Justiça de São Paulo solicitou exame de DNA para comparar o sangue da calça de Igor e o que estava do carro onde o policial efetuou os disparos. As amostras não eram iguais. O exame de balística também comprovou que o policial disparou cinco vezes e acertou todos em Rodrigo.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM