PUBLICIDADE

Anterior
Próximo

PUBLICIDADE

Anterior
Próximo

Guti diz ser “impossível” aumento de 23% para todo o funcionalismo público

greve dos servidores
Foto: Stap
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

PUBLICIDADE

Prefeito disse que não fará acordo linear e focará em ajudar servidores com salários menores

O prefeito Guti (PSD) afirmou ser “impossível” um aumento linear de 23% para todos os servidores públicos municipais, índice que foi pleiteado pela categoria durante a greve da campanha salarial suspensa nesta semana pelo sindicato após a Justiça obrigar todos os setores mais sensíveis, como Educação e Saúde, a terem 100% do efetivo em operação.

“É impossível num momento quase pós-pandemia que a gente consiga dar um aumento de 23%. A economia está totalmente afetada. É impossível”, disse o prefeito durante evento realizado no Ciesp, nesta terça-feira (29), no Jardim Leila.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo Guti, a Secretaria de Gestão negocia com sindicatos o aumento para cada categoria. Ele afirmou que a gestão municipal nunca fechou a porta para negociação com os servidores e que tal decisão foi tomada pelo Stap (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal), após reunião com servidores na Praça Getúlio Vargas na semana passada.

Para evitar um aumento do teto de gastos, o prefeito afirmou que negocia aumentos diferentes, de forma a contemplar principal a cesta básica e o vale-refeição, além de abono proporcional para algumas categorias.

“Até o servidor que ganha praticamente quase 5 mil reais, o aumento é acima de até 10% com todos esses periféricos que a gente aumentou, e o servidor que ganha menos é de 40%. O jeito que Guarulhos tem de prestigiar o servidor não é de uma forma linear, é de uma forma que a gente consegue atender aqueles que mais precisam, aqueles que estão mais necessitados”, disse Guti.

O sindicato cobra um reajuste superior a 20% porque afirma que estão há dois anos sem reajuste e que é preciso repor a perda da inflação. Entretanto, a Prefeitura afirma que um aumento linear deste tipo teria impactos catastróficos e que pode estourar o limite da lei de responsabilidade fiscal.

Em um aumento linear, um servidor que ganha R$ 1 mil passaria a ganhar R$ 1.230 reais, enquanto um servidor que ganha R$ 20 mil por mês alcançaria quase R$ 25 mil.

(Com informações de Welington Alves)

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE