fbpx
PUBLICIDADE

Funcionários da Proguaru rejeitam PDV e marcam ato em frente à Prefeitura no dia 30

Proguaru protesto
Foto: reprodução/Facebook/Proguaru
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Categoria ainda busca assinaturas para levar decisão sobre extinção da empresa de capital misto à população

Funcionários da Proguaru que participaram na sexta-feira (23) de uma assembleia realizada na sede do Stap (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal), no Centro, votaram contra a participação do sindicato na elaboração de PDV (Plano de Demissão Voluntária) da empresa de capital misto e pretendem realizar um ato em frente à Prefeitura no próximo dia 30.

A Secretaria da Fazenda havia solicitado a participação do Stap na elaboração do PDV da empresa de capital misto, que está com a extinção aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Guti (PSD) sob justificativa de sucessos prejuízos.

Os trabalhadores, porém, apontam que a culpa dos prejuízos e da falta de gestão do poder público e lutar para tentar impedir mais de 4 mil demissões que podem ocorrer caso a empresa realmente seja fechada.

Na votação realizada na sexta-feira, os trabalhadores afirmaram que ainda lutam contra o fechamento da empresa e que não podem, neste momento, ajudar na elaboração de um PDV.

Uma comissão de trabalhadores da Proguaru tem buscado assinaturas de ao menos 1% da população para tentar convocar um referendo e levar para a população a decisão sobre o possível fim da Proguaru. Eles já reuniram 6 mil de 10 mil assinaturas necessárias.

Após a assembleia realizada ontem, o presidente do Stap, Pedro Zanotti, afirmou que o sindicato iniciará esforços para reunir as assinaturas restantes e levar a solicitação ao presidente da Câmara, Martello (PDT), que terá 30 dias para enviar o documento ao Tribunal Regional Eleitoral. Após esse trâmite inicial, a expectativa é que o Tribunal realize o processo em um período de 60 dias.

“O Stap vai colher 3 mil assinaturas e vai entregar. Se Deus quiser nós vamos conseguir porque desde o início a nossa luta é pela manutenção da Proguaru, dos empregos da Proguaru”, disse Pedro.

No referendo, todo eleitor que vota em Guarulhos votaria, por exemplo, a favor ou contra a extinção da empresa.

Na semana passada, membros da comissão de trabalhadores solicitaram a OAB de Guarulhos um parecer sobre a viabilidade do referendo.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM