PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Funcionários da Proguaru decretam nova greve contra extinção da empresa

Greve Proguaru
Foto: Rômulo Magalhães/Agência Sindical
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Trabalhadores querem que prefeito revogue decreto de extinção da companhia de capital misto

Funcionários da Proguaru voltaram a decretar greve contra a extinção da empresa durante assembleia realizada pelo Stap (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública) em frente à Prefeitura de Guarulhos, no Bom Clima, na manhã desta quarta-feira (15).

Mais de mil pessoas assinaram a lista de presença, mas de acordo com Pedro Zanotti, presidente do Stap, aproximadamente 500 pessoas ficaram até o final e votaram pela greve.

“Nós temos que, já que votamos pela greve, convencer os nossos companheiros que eles têm que parar”, reforçou Zanotti.

De acordo com o sindicalista será feita uma notificação para informar o acontecimento da greve ao poder público, que deve começar na próxima segunda-feira (20). Funcionários que atuam na saúde não devem aderir ao movimento por se tratar de um serviço essencial.

A reportagem questionou a Prefeitura sobre quais medidas o poder público deve tomar contra a greve. Esta matéria será atualizada assim que obtivermos resposta.

Os trabalhadores devem fazer uma nova assembleia no 1º dia de greve, na segunda-feira (20), para atualizar os trabalhadores sobre o andamento do processo grevista.

A extinção da Proguaru foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Guti (PSD) no final do ano passado sob justificativa de sucessos prejuízos nos últimos dois anos. Neste mês, o prefeito iniciou o processo de licitação para substituição da Proguaru em serviços como varrição, pintura, limpeza e portaria.

Já Oposição, sindicato e uma comissão de trabalhadores “Em Defesa da Proguaru” criticam o fim de uma empresa que faz parte do patrimônio municipal e tentam manter a empresa e os 4,7 mil trabalhadores que devem ser dispensados.

A comissão de trabalhadores chegou a reunir assinaturas de mais de 1% do eleitorado guarulhense para solicitação de um referendo, como manda a Lei Orgânica do município, mas teve o pedido negado pelo Tribunal Regional Eleitoral, que afirmou que o pedido deveria ser deliberado pelo plenário da Câmara.

O presidente do Legislativo, Martello (PDT), apresentou recurso contra a decisão do TRE e aguarda resposta.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE