fbpx
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Escolas da rede municipal deixam de ter turno intermediário e ampliam carga horária

Creche e pré-escola
Foto: Márcio Lino/PMG
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Os estudantes de 44 escolas de Guarulhos passarão a ter 200 horas a mais de aula no ano, a partir de 2023

A Prefeitura de Guarulhos anunciou nesta quinta-feira (22) uma reorganização da rede municipal que eliminará o turno intermediário em 44 escolas da cidade. Com essa redução, a Secretaria de Educação, a partir de 2023, vai ampliar a carga horária dos estudantes de quatro para cinco horas diárias. A pasta afirma que a medida estará “favorecendo o desenvolvimento integral das crianças”.

Os alunos da rede municipal passarão a ter 200 horas a mais de aula no ano. O quadro de professores da Prefeitura também está sendo ampliado e realizou contratações. 

Segundo dados da Educação, em 2016, apenas 50 escolas municipais atendiam em dois períodos. Atualmente, das 153 unidades da rede, 104 já oferecem atendimento em jornada dupla. Com a reorganização, em 2023 serão 148 escolas atendendo em dois turnos. Desta forma, o número de escolas com três turnos será reduzido para apenas cinco. Em 2024 todas as unidades escolares terão o horário de atendimento ampliado. 

“Trata-se de um grande marco na educação de Guarulhos. Eliminar o terceiro turno é uma meta que temos desde 2017 e vamos cumprir até 2024, pois o atendimento de qualidade das crianças é nossa prioridade. A escola deve garantir condições para que elas tenham o seu desenvolvimento de forma integral, o que inclui estrutura física, alimentação de qualidade, qualificação dos professores e segurança. O aumento de 200 horas de aula/ano contribuirá para a aprendizagem, reforçando o nosso compromisso com aqueles que são o futuro da nossa cidade”, disse o prefeito Guti. 

Exclusão e evasão escolar

A iniciativa da Secretaria de Educação parte do programa Busca Ativa da Demanda Escolar, que tem como objetivo criar condições práticas para o enfrentamento da exclusão e da evasão escolar, agravadas pela pandemia.

De acordo com o secretário de Educação, Alex Viterale, o programa atua para garantir que as crianças estejam na escola e foi extremamente necessário para a reorganização da rede municipal.

“Técnicos do programa realizam visitas nas escolas e pelos bairros e mapeiam os motivos pelos quais a criança está fora da escola. Na busca ativa a secretaria vai detectar a demanda reprimida por vagas na cidade e identificar crianças de zero a seis anos que ainda estão fora da escola”, disse Viterale.

O secretário ressaltou ainda que a melhoria do atendimento no ato da matrícula e a permanência do aluno na escola são focos essenciais da pasta, além da garantia de uma educação pública de qualidade e com equidade.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM