fbpx
PUBLICIDADE

Em Guarulhos, Bolsonaro afaga Guti, ataca Lula e critica censura contra Jovem Pan

Bolsonaro em Guarulhos
Foto: Júlia Bandeira/Divulgação
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Presidente esteve na cidade neste sábado (22) para comício no Internacional Eventos

Durante um comício realizado no Internacional Eventos, na Vila Hermínia, neste sábado (22), o presidente Jair Bolsonaro (PL) afagou o prefeito Guti (PSD) e o candidato à presidência do PTB, Padre Kelman, derrotado no segundo turno das eleições, e levantou bandeiras como a “defesa da família brasileira”, além de atacar seu rival, o ex-presidente Lula (PT), com quem disputa o segundo turno das eleições.

Embora tenha ocorrido um princípio de vaia ao prefeito, Bolsonaro afirmou que foi Guti quem o procurou para evitar um novo pedágio na Rodovia Presidente Dutra no trecho da cidade. Segundo Bolsonaro, foi Guti quem ligou para ele e disse que o pedágio prejudicaria os moradores da cidade.

Por sinal, Guti, não foi o único político quase vaiado. Ao ser citado por Bolsonaro como um “colega de parlamento”, o presidente da Câmara, Fausto Martello, também foi alvo de um princípio de vaia.

Sobre o padre Kelman, Bolsonaro disse se tratar de um padre “que caiu do céu”, cuja participação foi importantíssima no último debate do primeiro turno. O padre foi alvo de uma polêmica no Brasil.

Embora tenha dito ser da igreja ortodoxa, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) afirmou que ele não é sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana, sem qualquer vínculo com a Igreja sob o magistério do Papa Francisco. Padre Kelmon é, na verdade, padre pela igreja ortodoxa do Peru.

Bolsonaro também atacou Lula ao falar sobre a sabatina que participou na Jovem Pan após o petista declinar o convite a um debate. Bolsonaro ainda disse que o PT é o partido a favor da liberação das drogas, da ideologia de gênero e do aborto e se colocou novamente como o homem que defende a família brasileira.

Bolsonaro também não poupou criticas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), se colocou como defensor da liberdade de expressão e criticou a censura imposta aos comentaristas da Jovem Pan, proibidos de falar sobre a situação judicial do ex-presidente Lula após decisão emitida pela corte na terça-feira (18).

“Hoje, a população acordou para a importância da liberdade. Um homem e uma mulher sem liberdade não vivem. Não podemos admitir censura em nosso país. Ontem, quando cheguei para a sabatina, já que o ladrão fugiu, o descondenado escafedeu-se, o chefe de organização criminosa resolveu não aparecer, nós nos apresentamos”, disse Bolsonaro ao atacar Lula e defender a Jovem Pan.

O público no comício, por ao menos três vezes, entoou um coro em defesa da Jovem Pan, repetindo o nome da empresa diversas vezes.

Vale ressaltar, entretanto, que o presidente também ingressou com ação contra matéria publicada pelo UOL que citou a compra de 51 imóveis em dinheiro vivo pelo clã Bolsonaro.

Em seu discurso, o presidente também defendeu medidas econômicas de sua gestão, a queda do preço da gasolina, o auxílio-brasil, entre outras ações. Ele afirmou ainda que dará aumento real do salário mínimo e das aposentadorias.

“Sabemos que podemos fazer mais e faremos. Como anunciei com Paulo Guedes ontem, aumento real no valor do salário mínimo, aumento real para os aposentados e aumento real para os servidores”, afirmou o presidente.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM