PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Educação Socioemocional ajuda crianças a superarem desafios da pandemia

Foto: Divulgação
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Centro Educacional Moriah tem parceria com a Escola da Inteligência, idealizada pelo psiquiatra Augusto Cury

A Educação Socioemocional é um dos pilares do Centro Educacional Moriah, que possui unidades no Gopoúva e no Picanço, em Guarulhos. Parceiro da Escola da Inteligência, projeto idealizado pelo famoso psiquiatra e escritor Augusto Cury, o colégio contribuiu com a metodologia para que crianças e adolescentes conseguissem encarar a pandemia do coronavírus da melhor forma possível.

As aulas de Educação Socioemocional são oferecidas a partir do Maternal até a 3ª série do Ensino Médio. Inicialmente, as crianças acompanham histórias com personagens que retratam emoções do cotidiano. No final, os jovens trabalham o Projeto de Vida, as expectativas para a escolha da profissão, a preparação para o vestibular, além dos Itinerários Formativos, que são as disciplinas eletivas.

De acordo com o consultor educacional Rodrigo Silva, da Escola da Inteligência, todas as pessoas possuem inteligência emocional, mas é preciso que ela seja desenvolvida para que tenhamos crianças, jovens e adultos que consigam fazer a gestão de suas emoções e pensamentos. “Dessa forma é possível tomar decisões de forma mais responsável e cuidadosa”, disse.

Além das aulas semanais, a Escola da Inteligência promove quatro encontros anuais com os pais e responsáveis pelos estudantes. O entendimento é que a família também precisa trabalhar a educação socioemocional.

 Rodrigo explica que a Educação Socioemocional permite que as crianças e adolescentes tenham mais empatia, o que reduz a possibilidade de brigas e bullying.

“Você cria um ambiente emocionalmente saudável. Com isso, a tendência é melhorar o ambiente de ensino, dentro e fora da escola”, comentou.

Durante a pandemia do coronavírus, Rodrigo considera que os alunos tiveram maior êxito para encarar o cenário de ansiedade que tomou conta do país.

“Se eu consigo fazer a gestão do que sinto, posso passar pela pandemia de maneira mais leve”, afirmou.

Foto: Divulgação (aula antes da pandemia)

Metodologia

No Picanço, o Moriah recebe crianças de quatro meses até o 3º ano do Ensino Fundamental. Para a assessora pedagógica da unidade, Anacely Rita, a Educação Socioemocional ajuda as crianças a expressarem os seus sentimentos, o que foi intensificado durante a pandemia.

“Começamos a trabalhar o medo e a ansiedade que eles estavam por não poderem sair de casa”, disse.

No retorno das aulas presenciais, neste ano, Anacely percebeu que os estudantes estavam conscientes da necessidade de manterem os cuidados de biossegurança.

“A criança aprende a pegar o sentimento que não é bom e lidar com suas dificuldades”, falou.

No Gopoúva, o Moriah atende Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Na opinião da assessora pedagógica da unidade, Carolina Muniz, a metodologia contribui para que as crianças reflitam sobre temas atuais para que se tornem protagonistas de suas histórias. Ela trabalha com as crianças da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental.

“Os temas mudam de acordo com cada faixa etária. Para a Educação Infantil, os personagens trabalhados são animais. No Ensino Fundamental, passam a ser crianças, justamente para que os alunos se identifiquem”, explicou.

Vale destacar que a Educação Socioemocional não é trabalhada apenas em uma disciplina, mas como um conceito que abriga todo o colégio. Segundo Cristiane Quintas, articuladora educacional do 6º ano do Ensino Fundamental ao Ensino Médio, o acolhimento de crianças e adolescentes começa na entrada. “Isso passa pelas funcionárias do serviço geral até a direção. Todo tratamento com os alunos é humanizado.”

Cristiane conta que os adolescentes trabalham a Educação Socioemocional com dinâmicas e reflexões. No Ensino Médio, o principal desafio é contribuir para que os jovens consigam fazer seus projetos de vida, com foco na autonomia. As dinâmicas são parecidas com seleções de emprego. E o programa Itinerários Formativos contribui com disciplinas eletivas que ajudam os adolescentes na escolha da profissão. 

A unidade Gopoúva do Centro Educacional Moriah fica na Alameda Yayá, 61, Telefone (11) 2443-5868, e atende os alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio. A unidade Picanço está localizada na Rua Cachoeira, 87, Telefone (11) 2086-0458, que atende do Berçário e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE