fbpx
PUBLICIDADE

CPTM vai expandir plataforma da estação Luz para atender mais usuários da Linha 13

Linha 13 Jade
Foto: Eurico Cruz/GRU Diário
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Atualmente, passageiros conseguem embarcar em apenas dois dos oito vagões para o serviço Expresso Aeroporto Guarulhos

Com previsão de aumento na demanda da Linha 13 – Jade, que liga o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica, até a Capital, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) abriu uma licitação, nesta terça-feira (24), para execução das obras de um projeto de ampliação do trecho da estação Luz voltado para o serviço Expresso Aeroporto Guarulhos.

Atualmente, o serviço funciona de hora em hora e os passageiros que esperam pelo trem na Luz conseguem embarcar em apenas dois dos oito vagões de cada trem por conta da limitação da estrutura.

Com obras em andamento para estação do trajeto até a Barra Funda e também sob possibilidade de expandir o trajeto para a periferia de Guarulhos, a CPTM entendeu que precisa ampliar o espaço para atender mais passageiros no futuro.

“A linha 13 – Jade da CPTM deve passar por um aumento da demanda de passageiros, gerado pela implantação de novos itinerários futuros; também apresenta necessidade operacional no trecho em questão, o que implica abrigar o trem do Expresso por inteiro na plataforma, visto que atualmente os serviços de embarque e desembarque são realizados em apenas 2 (dois) carros; há de se considerar, ainda, a necessidade de disponibilização de espaço para uso comercial, conforme requerido pela área de Novos Negócios da CPTM, bem como o oferecimento de maior conforto e segurança aos passageiros que
utilizam a linha”, diz documento da licitação iniciada nesta terça-feira (24).

“O projeto de adequação da Plataforma 5 foi totalmente desenvolvido pela própria CPTM. Além da capacidade técnica inquestionável dos nossos profissionais, isso gera uma grande economia para a companhia. Temos toda a expertise para desenvolver internamente esse e outros grandes projetos”, afirma Eduardo Tavares de Lima, Gerente de Projetos da CPTM.

Após as alterações, a plataforma terá cerca de 175 metros de extensão e área operacional de 1542 metros quadrados. Além disso, haverá uma área de 217 metros destinada a se tornar uma área de segurança. A linha de bloqueios existente será removida, mantendo-se apenas os guarda-corpos (cancelas fixas) laterais e a contagem será feita por novo sistema de câmeras.

Também haverá troca de pisos e a inserção de três áreas de jardim na plataforma para receber o escoamento das águas pluviais e promover a melhoria da drenagem local, além de ajudar na qualidade estética do ambiente.

Também será construído uma rampa de acesso direto à Praça da Luz, novos sanitários públicos acessíveis e um novo prédio operacional, e serão instalados borrachões para atender às normas de acessibilidade. Serão feitas alterações no sistema elétrico e de iluminação, além de ampliação do sistema de detecção e alarme de incêndio para as novas edificações e extensão da plataforma e instalação de novas câmeras de segurança.

“As características vistas em toda a Estação da Luz, um patrimônio histórico, serão mantidas na Plataforma 5. As obras respeitarão todos os requisitos de segurança e respeitarão essa arquitetura singular que o nosso prédio possui”, disse Pedro Moro, presidente da CPTM .

Vale ressaltar que a no caso da extensão até Bonsucesso há um estudo em andamento, com custo estimado de R$ 2,6 milhões.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM