fbpx
PUBLICIDADE

Briga generalizada entre alunos de escola no Taboão vira caso de polícia e assusta bairro

Foto: Reprodução
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Nas imagens é possível ver uma multidão de alunos correndo e agredindo uns aos outros

Vídeos que circulam nas redes sociais, e que foram encaminhados à reportagem do GRU Diário, mostram uma briga generalizada entre alunos da Escola Estadual Maria Angélica Soave, no Jardim Nova Taboão.

Segundo os pais e vizinhos, as brigas são recorrentes e costumam ocorrer à tarde, na saída e entrada de alunos. Inclusive, há relatos de que um estudante teria levado uma arma de fogo para a escola.

“Na última semana, os pais foram até a escola no período da tarde a pedido dos alunos, pois tinha outro aluno armado dentro da instituição. A escola que já foi referência, hoje, virou palco de terror”, disse a mãe de um dos alunos.

A situação envolvendo a escola gerou medo nos pais e vizinhos que pedem segurança e reforçam que a instituição já foi referência em educação na cidade.

“Pedimos socorro. Tenho medo de levar meu filho para a escola, sem segurança, sem direção, muito triste ver a escola que eu estudei, que minha família estudou, se acabando”, desabafou um pai de aluno.

Outro lado

Em nota enviada ao GRU Diário, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) afirma que repudia qualquer forma de agressão dentro ou fora das escolas.  Assim que tomou ciência do ocorrido, mesmo que fora da unidade, a direção chamou os responsáveis pelos estudantes para uma reunião de mediação. A escola mencionada não possui histórico de violência e não há registros de confusões dentro da unidade.

O caso ​pontual foi registrado na Plataforma Conviva SP – Placon, sistema utilizado para acompanhamento de registro de ocorrências escolares na rede estadual de ensino.” 

A Polícia Militar foi acionada e com a chegada das viaturas houve a dispersão. A gestão da unidade escolar foi orientada quanto aos procedimentos de polícia judiciária e disponibilização das informações necessárias para investigação policial, por sua vez, a direção da escola já está colhendo a informações necessárias para o registro do Boletim de Ocorrência.

O Gabinete Integrado de Segurança e Proteção Escolar (GISPEC), que realiza estudos sobre a violência na área de segurança das escolas e o planejamento de estratégias, tanto nas sedes administrativas quanto nas escolas, segue monitorando e atuando frente ao acionamento de toda rede protetiva.

A Diretoria de Ensino de Guarulhos Norte e a Seduc-SP se colocam à disposição para esclarecimento dos fatos.

A reportagem questionou a pasta sobre a entrada de aluno com arma de fogo, mas não obteve resposta.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM