PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Acervo do fotógrafo Massami Kishi é doado à Prefeitura de Guarulhos

Foto: Massami Kishi
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Profissional se dedicou por 60 anos a registrar imagens da cidade

Mais de 11 álbuns com fotos antigas da cidade, equipamentos fotográficos e de filmagem, filmes e películas de 8, 16 e 35 milímetros e documentos pessoais do fotógrafo Massami Kishi foram doados na última segunda-feira (14) para a Secretaria de Cultura de Guarulhos. O material, resultado da dedicação de Kishi em mais de 60 anos de profissão, passa a compor o acervo do Arquivo Histórico Municipal de Guarulhos e estará disponível para consulta do público tão logo esteja catalogado.


“Por meio de suas lentes, de seu olhar apurado para as mais diversas manifestações sociais, culturais e políticas de Guarulhos, Massami Kishi construiu importante legado e tornou-se referência para todos aqueles que desejam conhecer nossa história mais a fundo. Estamos muito felizes em poder mediar, com visitações e exposições guiadas ao Arquivo Histórico, o compartilhamento de todo esse conhecimento para os munícipes”, disse o secretário de Cultura, Professor Jesus.

Testemunha da história da cidade

Massami Kishi registrou imagens célebres de personalidades e de fatos importantes que marcaram a história do município, como os festejos do IV centenário de fundação da cidade e a posse do prefeito Waldomiro Pompeo, em 1973, entre outros.

No acervo de fotografias doado, é possível encontrar registros antigos do centro de Guarulhos, datados dos anos 1950 e 1960, de bairros como a Vila Galvão. Em meio a algumas dessas imagens há fotos da centenária Banda Lira com o maestro César Testai, das comemorações da Festa de Nossa Senhora de Bonsucesso e do Tênis Clube de Guarulhos.

Prestes a celebrar 92 anos, em agosto deste ano, Kishi decidiu doar parte desse acervo para o Arquivo Histórico Municipal como forma de preservar e disseminar seu legado e para que mais pessoas possam conhecer seu trabalho, feito com dedicação desde 1954.

De acordo com Renato Collacique, responsável pelo Arquivo Histórico, o acervo doado por Massami Kishi para a Prefeitura tem grande relevância para historiadores e pesquisadores, além de estudantes e interessados em entender a história material e imaterial da cidade, considerando a riqueza de imagens e informações que o material representa.

“Por meio desse acervo, composto pelos equipamentos e pelo registro de imagens, é possível compreender o processo criativo de Massami Kishi, seu modo de trabalho e suas paixões. Certamente ele representa um ícone da fotografia em Guarulhos”, observa Collacique enquanto apresenta detalhes que evidenciam as escolhas do fotógrafo no registro de imagem. Segundo ele, a aquisição desse conteúdo pelo Arquivo Histórico é de grande importância, considerando que Massami Kishi é testemunha viva da história da cidade.

Fotógrafo premiado, sua brilhante atuação lhe rendeu os prêmios Troféu Guaru (1986), o 2º lugar em Concurso de Fotografia no Japão (1953) e o Título de Cidadão Guarulhense (em 1986).

Imigração japonesa em Guarulhos

Nesta sexta-feira (18) é comemorado o Dia Nacional da Imigração Japonesa, data na qual o primeiro navio aportou ao Brasil com imigrantes japoneses, no porto de Santos, em São Paulo, em 1908.

Em Guarulhos, a história de Massami Kishi e sua família se confunde com a imigração japonesa na cidade, que teve início no início do século XX e se intensificou nas décadas seguintes.

Massami Kishi nasceu no Japão, na cidade de Osaka, em 1929. Aos seis anos, em 1935, ele e a família desembarcam no porto de Santos e chegam a Guarulhos em 1936. Diante da grave crise econômica vivida pelo Japão, um acordo entre o governo japonês e o brasileiro incentivou a vinda de japoneses, considerando que o Brasil necessitava de mão de obra para a lavoura do café. Dedicada à marcenaria e à agricultura, a família de Kishi fabricou móveis e foi a maior produtora de alfaces da região.

Aos 21 anos Kishi ganhou a primeira máquina fotográfica de seu pai. Em 1954, tornou-se o primeiro repórter fotográfico do Jornal de Guarulhos, registrando atividades do Rotary Club. Em 1964, casou-se com Luzia Padilha e teve três filhos: Myrene, Myrna e Eduard. Em 1967 montou a Foto Massami e fez da fotografia sua atividade principal.

Ele também trabalhou para o jornal Gazeta Esportiva. São de sua autoria as fotos que ilustram o livro Guarulhos: Cidade Símbolo, de Adolfo Noronha. O fotógrafo se dedicou ainda à escrita de artigos para o jornal Olho Vivo, entre fevereiro de 1998 e abril de 2002, uma coluna chamada Guarulhos Século XX, que resultou na edição de um livro com o mesmo nome, com mais de 150 fragmentos de lembranças e registros fotográficos.

Atualmente, de acordo com o último censo, estima-se que há cerca de 1,5 milhão de cidadãos de origem japonesa vivendo no Brasil.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM