fbpx
PUBLICIDADE

Vida e obra de Pagu é tema de musical no Sesc Guarulhos no próximo final de semana

Foto: Carlene Cavalcante
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Ingressos estão à venda

Nos dias 19 e 20 de fevereiro, o Sesc Guarulhos recebe montagem do espetáculo Pagu – Anjo Incorruptível. Baseado na vida e obra da jornalista, desenhista, escritora e ativista política Patrícia Rehder Galvão, a Pagu, a peça cruza realidades e sobrepõe histórias para falar do que é ser mulher. A montagem é do Núcleo Toada.

Os ingressos para as apresentações estarão disponíveis para venda em sescsp.org.br/guarulhos a partir das 14 horas do dia 15 de fevereiro, e para venda presencial a partir das 17 horas do dia 16, nas bilheterias da rede Sesc.

Pagu – Anjo Incorruptível

O espetáculo musical sobrepõe camadas narrativas ficcionais e teatro documentário, a partir de fragmentos da vida e obra da jornalista, escritora e ativista Patrícia Galvão (1910-1962), conhecida como Pagu.

A trama, estrelada por Lilian de Lima, que também canta e assina a dramaturgia e direção, traz para a cena a história ficcional, mas tão real e possível, de outra Patrícia: uma moradora da periferia de São Paulo nos dias de hoje. Duas mulheres, duas Patrícias separadas pelo vão de um século, trazem à tona uma pergunta: em cem anos, o que de fato mudou?

O espetáculo estreou em 2018 e fez turnê em várias cidades brasileiras. Lilian de Lima é atriz, cantora, dramaturga, diretora e preparadora vocal. Fundadora do Núcleo Toada, também faz parte do grupo paulistano Cia. Do Tijolo, entre outros.

Pagu

Patrícia Rehder Galvão – Pagu, viveu de 1910 a 1962. Foi jornalista, escritora e ilustradora. Se destacou durante o movimento Modernista iniciado em 1922, apesar de não ter participado da Semana de Arte Moderna daquele ano. Adepta do movimento antropofágico, se aproximou do casal Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade, com quem se casou posteriormente.

Os dois passaram a militar no Partido Comunista em 1930. Neste período, Pagu participou ativamente de uma greve de estivadores na cidade de Santos, onde foi presa pela polícia de Vargas, tornando-se a primeira presa política da história do Brasil.

Em 1933 publicou, sob o pseudônimo de Mara Lobo, o romance Parque Industrial, que foi considerado o primeiro romance proletário da literatura brasileira. Ela partiu logo após em viagem para a Europa e outros locais do mundo como repórter. Na França, passou a frequentar alguns cursos na Sorbonne e, em 1935, filiou-se ao Partido Comunista Francês. Foi pega pela polícia francesa com documentos falsos, o que lhe garantiu mais uma prisão. Foi liberada após intervenção do embaixador brasileiro Souza Dantas junto ao governo francês.

Pagu foi uma notória militante comunista. Entrevistou Sigmund Freud e participou da coroação do último imperador chinês, Pu-Yi, de quem obteve as primeiras sementes de soja que foram trazidas ao Brasil. Ao voltar ao país, separou-se de Oswald de Andrade, com quem tinha um filho, Rudá de Andrade. Retomou a atividade jornalística, sendo presa novamente pelas forças repressivas do Estado Novo, ficando cinco anos na prisão. Por sua militância política, Pagu foi presa 23 vezes.

Desligou-se do PCB em 1940, aproximando-se do trotskismo. Colaborou na revista Vanguarda Socialista, da qual fizeram parte Mário Pedrosa e o jornalista Geraldo Ferraz, que iria se tornar seu segundo marido e pai de seu segundo filho, Geraldo Galvão Ferraz. Passou a viver em Santos, onde se dedicou também às artes cênicas.

  • Dias: 19 e 20 de fevereiro, sábado, às 20h e domingo às 18h
  • Classificação: 12 anos
  • Ingressos: R$ 40,00 (inteira); R$ 20,00 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados, pessoas com deficiência e credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Sesc Guarulhos

  • Endereço: Rua Guilherme Lino dos Santos, nº 1.200, Jardim Flor do Campo, Guarulhos – SP
  • Telefone: (11) 2475-5550

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM