PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Vereadores rejeitam Decreto Legislativo que tentava barrar extinção da Proguaru

Novo Plenário da Câmara
Foto: Bruno Netto/CMG
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Base do governo angariou 22 votos contra 9 da oposição. Presidente da Câmara deve recorrer de decisão do TRE contra referendo

A base de vereadores governistas derrubou, ainda na deliberação, um Decreto Legislativo proposto pelo vereador Maurício Brinquinho (PT) que tinha a intenção de suspender o decreto do prefeito Guti (PSD) que visa liquidar a Proguaru.

Na votação ocorrida nesta quarta-feira (8), a medida recebeu 22 votos contra e 9 a favor. Na Câmara, há um acordo de cavalheiros que determina que os projetos sejam ao menos deliberados.

Entretanto, assuntos relativos a Proguaru tem sido evitados pela base governista. Autor da proposta, Brinquinho tentou comover os vereadores a votarem contra a demissão de 4,7 mil trabalhadores.

“Quem elegeu vocês foi a população, não o prefeito”, disse Brinquinho.

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo negou o pedido de referendo feito por uma comissão de trabalhadores em Defesa da Proguaru que colhe 14,7 mil assinaturas de apoio, mais do que 1% do eleitorado necessário para fazer essa requisição, de acordo com a Lei Orgânica, sob justificativa que a solicitação deveria ter passado pelo plenário da Câmara.

O governo alega que a empresa de capital misto é deficitária e que a contratação de empresas terceirizadas evitaria prejuízos na ordem de R$ 200 milhões.

Em reunião realizada com a oposição e membros da comissão, o presidente da Câmara, Fausto Martello, afirmou que vai recorrer da decisão do TRE.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE