fbpx
PUBLICIDADE

Vereador acusa Câmara Municipal de utilizar veneno para expulsar pombos

Câmara Municipal de Guarulhos
Foto: Bruno Netto/CMA
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Legislativo rebate acusação; Martello diz que precisa zelar pela saúde dos seres humanos

O vereador Geleia Protetor (PSDB) acusou a Câmara Municipal de Guarulhos de manter contrato com uma empresa que está utilizando veneno para matar pombos na sede do Legislativo, na Vila Augusta. A declaração foi feita em sessão extraordinária, na última quarta-feira (30).

Geleia chegou a chamar a GCM (Guarda Civil Municipal) Ambiental e a Polícia Civil para investigarem a atuação do serviço de controle de pombos da Viel Serviços, com sede na cidade de Urânia, no interior paulista. O contrato anual é de R$ 44.900 para combater os pombos, além de R$ 39.500 para nebulização dos ambientes e R$ 13.900 para desratização.

“A empresa matou os pombos envenenados”, acusou Geleia, que solicitou a suspensão do contrato ao presidente da Casa de Leis, o vereador Fausto Miguel Martello (PDT).

Martello rebateu Geleia e disse que ele pode recorrer ao Judiciário, se sentir-se prejudicado. “Contratamos uma empresa idônea e responsável. Temos todo o cuidado para a realocação das aves. Eu tenho que zelar pela saúde pública e dos seres humanos. Não podemos deixar os pombos soltos”, afirmou.

Em nota, a Câmara Municipal informou que o serviço de controle de pombos teve início em 22 de março e foi paralisado para aguardar o resultado da perícia. O órgão negou a utilização de veneno para matar os pombos.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM