fbpx
PUBLICIDADE

Três PMs são assassinados por homem que fingiu ser policial civil em abordagem

PMs assassinados
Foto: divulgação
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Corpos dos policiais estão sendo velados neste domingo

Três policiais militares foram mortos por um homem que fingiu ser policial civil durante uma abordagem na Avenida Politécnica, no bairro do Butantã, Zona Oeste de São Paulo, no sábado, 8.

O homem que efetuou os disparos foi Cauê Doretto de Assis, de 24 anos. Ele e um amigo estavam em um carro e decidiram parar uma moto que passava pelo local. Os três PMs também passavam pela via e acharam estranho a situação.

Quando abordado, Assis se identificou como policial civil, entregou a arma e uma carteira falsa. Enquanto os PMs verificavam se ele realmente eras policial, Assis pegou uma segunda arma e atirou na cabeça de um dos policiais militares, atirou em outro e saiu correndo.

O terceiro policial militar que participava da abordagem conseguiu atingir o criminoso, mas também foi baleado e não resistiu aos ferimentos. O criminoso também morreu, mesmo depois de ser socorrido.

O soldado Victor Rodrigues Pinto da Silva, de 29 anos, deixou uma esposa grávida e esperava o primeiro filho. Já o sargento José Valdir De Oliveira Júnior, de 37 anos. No caso de Junior tinha uma filha e a esposa está grávida de gêmeos, segundo a nota da Polícia Militar.

Já o soldado Celso Ferreira de Menezes Júnior, de 33 anos, estava na corporação há mais de 10 anos.

“Será um final de semana triste e cinzento para nossa Instituição, é imensurável a dor que a família e amigos estão sentindo nesse momento.”, escreveu a polícia militar em seu blog.

O amigo do assassino, que estava no carro, afirmou estar em uma festa onde ambos consumiram bebida alcóolica. Que não entendeu o comportamento de Assis, que “surtou”.

A polícia avalia agora se ele é um cúmplice ou apenas uma testemunha.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM