fbpx
PUBLICIDADE

Sistema Cantareira volta a operar na faixa de Alerta em julho

Foto: Divulgação/ANA
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Redução do armazenamento dos reservatórios é causada pelas chuvas abaixo da média dos últimos meses

O Sistema Cantareira, maior manancial da Grande São Paulo, voltou a operar na faixa de ‘Alerta’, na última sexta-feira (1º). Assim, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) poderá captar até 27 metros cúbicos por segundo (m³/s) dos reservatórios do Sistema Cantareira, em vez do limite máximo de 31 m³/s da faixa de operação de ‘Atenção’, que estava, até então, vigente desde março deste ano. As informações são da ANA (Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico).

“A redução do armazenamento dos reservatórios do Sistema Cantareira, causada pelas chuvas abaixo da média dos últimos meses, fez com que o Sistema Equivalente ficasse abaixo dos 40% de seu volume útil em 30 de junho, quando as represas Jacareí, Jaguari, Cachoeira e Atibainha estavam com 39,72% de seu volume útil. No ano passado, nessa mesma data, o Sistema Cantareira estava com 45% de seu volume útil”, explica o comunicado da Agência.

O Sistema Cantareira é formado por cinco reservatórios: Jaguari, Jacareí, Cachoeira, Atibainha e Paiva Castro. Os quatro primeiros ficam nas bacias PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí) e o Paiva Castro está na bacia do Alto Tietê. Suas águas são conectadas por túneis subterrâneos e canais, formando o Sistema Equivalente do Cantareira com volume útil total de 981,56 bilhões de litros.

Nesse patamar de armazenamento de água, entre 30% e 40% no último dia do mês anterior, fica caracterizada a faixa de operação de Alerta para o mês seguinte, que são definidas em cinco faixas de operação do Cantareira, de acordo com a Resolução Conjunta nº 925/2017, para aumentar a segurança hídrica da Região Metropolitana de São Paulo e dar previsibilidade sobre as condições operativas futuras.

Isso permite o planejamento do uso de suas águas pela Sabesp, que capta do manancial para abastecer cerca de 9 milhões de pessoas na Grande São Paulo, incluindo Guarulhos.

Faixas de operação

Faixa 1 – Normal: volume útil acumulado igual ou maior que 60% e limite de retirada de 33,0 m³/s;

Faixa 2 – Atenção: volume útil acumulado igual ou maior que 40% e menor que 60% e limite de retirada de 31,0 m³/s;

Faixa 3 – Alerta: volume útil acumulado igual ou maior que 30% e menor que 40% e limite de retirada de 27,0 m³/s;

Faixa 4 – Restrição: volume útil acumulado igual ou maior que 20% e menor que 30% e limite de retirada de 23,0 m³/s;

Faixa 5 – Especial: volume acumulado inferior a 20% do volume útil e limite de retirada de 15,5 m³/s. 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM