fbpx
PUBLICIDADE

Sindicatos se articulam contra modelo de taxa do lixo proposto pela Prefeitura

Foto: Prefeitura/Divulgação
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Sindicatos entendem que determinação é federal, mas criticam possíveis valores citados em projeto da Prefeitura, que tenta derrubar a medida na Justiça

Líderes sindicais articulam um movimento em que pretendem realizar um debate com a Prefeitura sobre o possível modelo de uma taxa do lixo que deve ser criada em Guarulhos, assim como em todos os municípios brasileiros, por conta do novo marco do saneamento aprovado pelo Governo Federal.

A Prefeitura chegou a pedir para participar como parte interessada em um processo que questiona a validade da medida, mas enviou um projeto à Câmara Municipal que cria a taxa e varia de R$ 4,54 a R$ 54,50 por mês.

Tabela taxa do lixo
Foto: taxa do lixo

Pedro Zanotti, presidente do Stap (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal), e Josinaldo Barros (o Cabeça), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos, confirmado ao GRU Diário que se reuniram para tratar do tema. De acordo com o metalúrgico, ao menos 12 sindicatos já teriam aderido ao movimento.

“A gente sabe que é uma determinação, mas o valor citado pela Prefeitura é irreal e não entende a realidade diferente de cada bairro. Um morador de uma região mais carente não pode arcar com o mesmo valor de um morador do Maia”, defendeu Zanotti.

Durante sua posse como presidente, neste sábado (24), Cabeça também falou sobre o tema.

“Nós vamos juntar todos os sindicatos da cidade para questionar e debater junto ao prefeito [Guti (PSD)] porque a taxa do lixo tem que ser melhor debatido não é só mandar um projeto para Câmara sem explicar como e quem vai pagar esta taxa porque o cara que está desempregado ou ganha um salário mínimo não pode pagar esta taxa”, disse Cabeça.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM