fbpx
PUBLICIDADE

Simone Tebet será ministra do Planejamento no Governo de Lula

Simone Tebet
Foto: Divulgação/Simone Tebet
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Mais 15 ministérios ainda não tiveram seus titulares definidos

O futuro ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, confirmou hoje (27) o convite feito à senadora Simone Tebet (MDB-MS) para ocupar o Ministério do Planejamento, que será recriado pelo governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.Simone Tebet será ministra do Planejamento no Governo de LulaSimone Tebet será ministra do Planejamento no Governo de Lula

De acordo com Padilha, Lula convidou Tebet na última sexta-feira (23) e teria havido “sinalização positiva por parte da senadora”. O ministro negou que tenha sido costurado um acordo para tornar mais robusta a estrutura do Planejamento e que isso teria levado ao aceite da parlamentar.

Segundo Padilha o convite foi feito por Lula “pelo papel que ela teve no segundo turno, pela qualidade que ela tem como senadora, essa foi a motivação”. Ele deu as declarações após reunião com o presidente do MDB, Baleia Rossi.

Em terceiro lugar na corrida presidencial, Simone Tebet declarou apoio a Lula no segundo turno e teve papel ativo na campanha, subindo em palanque e viajando pelo país em defesa da candidatura lulista. Isso aumentou o seu cacife para assumir uma pasta no novo governo.

De início, a senadora gostaria de ocupar uma pasta mais ligada à execução de programas sociais do governo, mas teria aceitado o Planejamento diante de seu papel estratégico na definição do orçamento e de políticas públicas.

Por diversas vezes, Padilha ressaltou o “papel central” do Planejamento na composição do governo e frisou que a pasta participa dos comitês gestores de programas como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida, duas vitrines de governos petistas que devem retornar na nova gestão de Lula.

Ele negou que tenha havido acordo para turbinar o Planejamento, de modo a convencer Simone Tebet. Segundo o futuro ministro, já estava previsto pelo relatório final do gabinete de transição que a estrutura do ministério a ser recriado tenha sob seu guarda-chuva instituições importantes como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea). “Isso não foi discutido” com a senadora, afirmou o futuro ministro.

Padilha disse que uma reunião deve ser organizada ainda nesta terça-feira (27) para “fechar os últimos detalhes” e confirmar o nome de Tebet no Planejamento.

Outros ministérios

Além do Planejamento, outros 15 ministérios ainda estão sem titulares. Padilha disse que “nada está definido” e que as conversas com pessoas, partidos e bancadas continuam até o fim da semana.

O futuro ministro das Relações Institucionais agradeceu a disposição dos parlamentares e partidos que se empenharam na aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Transição neste mês, incluindo alguns que compõem a base do atual governo Bolsonaro. Padilha disse que esses empenhos “estão sendo considerados” na composição do novo governo.

(Texto da Agência Brasil)

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM