PUBLICIDADE

Anterior
Próximo

PUBLICIDADE

Anterior
Próximo

Secretário defende transporte apenas de profissionais essenciais em horário de pico

Foto: Nicollas Ornelas/PMG
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

PUBLICIDADE

De acordo com o secretário estadual Alexandre Baldy, medida deveria ser seguida por prefeituras da região metropolitana.

Em live realizada nesta sexta-feira, 15, o secretário de Transportes Metropolitanos do governo do estado de São Paulo, Alexandre Baldy, defendeu que o transporte coletivo tenha uma espécie de rodízio para que somente trabalhadores essenciais utilizam o transporte coletivo durante o horário de pico, entre 5h30 e 8h e das 17h30 às 19h30.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Apesar de ter foco maior na Capital, o secretário defende que a medida seja tomada por prefeituras da região metropolitana de São Paulo, entre elas Guarulhos.

“É o que eu tenho defendido, que fiquem para estes horários, apenas de profissionais de segurança pública, saúde e transporte, e para outros horários, quem trabalha em supermercados, construção civil e demais atividades que estão permitidas pelo decreto estadual, para que as demais atividades fossem escalonadas fora do horário de pico”, disse o secretário.

A medida teria o intuito de evitar aglomerações de pessoas durante este horário e minimizar o risco de contaminação pelo novo coronavírus, causador da covid-19.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE