fbpx
PUBLICIDADE

PF prende dois refugiados por transportar cocaína no Aeroporto de Guarulhos

Foto: PF
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Polícia Federal apreendeu 60 quilos de entorpecentes nos últimos dias

A PF (Polícia Federal) prendeu sete suspeitos, entre 22 e 24 de julho, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, por tráfico de drogas. Os criminosos portavam quase 60 quilos de cocaína. Um dos detidos era refugiado, enquanto outro solicitava esse status no Brasil.

O refugiado é um nigeriado, que levava consigo 30 embalagens de xampu com quase 19 kg de cocaína. O homem pretendia levar a droga para Douala, em Camarões. Outro suspeito, também solicitante de refúgio, transportava, fixados ao corpo, 4 quilos de cocaína distribuídos em 16 volumes. Ele tinha como destino final de sua viagem a cidade de Lagos, na Nigéria.

Um angolano, que reside no Brasil desde 2009, que pretendia embarcar para Kigali, em Ruanda, foi flagrado por policiais federais com 10 quilos de cocaína ocultos dentro de calças jeans.

Em outra ação, um americano, de 76 anos, que embarcaria para Nova Déli, na Índia, foi flagrado com mais de 2 kg de cocaína, ocultos em fundos falsos de sua bagagem de mão. Também numa bagagem de mão, transportada por um homem, nacional da Nigéria, os policiais federais encontraram mais de 4 kg quilos de cocaína ocultos em 4 sandálias e 2 carteiras. O suspeito pretendia levar a droga para Doha, no Catar.

Cerca de 15 kg de cocaína, compactados e na forma de tijolos, estavam dentro de uma mala transportada por um brasileiro, residente em Dublin, na Irlanda. O suspeito disse aos policiais que estava retornando ao país onde reside, após ter vindo ao Brasil para participar de um campeonato de jogos de cartas.

A última prisão, realizada no domingo (24), foi de uma mulher, nacional da África do Sul. Nos fundos falsos encontrados em sua mala, os policiais federais retiraram 4 kg de cocaína. A suspeita embarcaria em voo para Joanesburgo, na África do Sul, com escala em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Os presos serão apresentados à Justiça Federal, onde poderão responder pelo crime de tráfico internacional de drogas.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM