fbpx
PUBLICIDADE

Oposição protocola pedido de impeachment de Guti por extinção da Proguaru

Câmara Municipal de Guarulhos
Foto: Bruno Netto/CMA
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Documento contém assinaturas do PT, PC do B, Solidariedade, Elói Pietá, Alencar e Zeitune

Um grupo de partidos de oposição, formado por PT, PC do B e Solidariedade, junto a vários, políticos, como o deputado federal Alencar Santana (PT), o ex-prefeito Elói Pietá (PT) e o ex-vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede) protocolaram nesta sexta-feira (17) um pedido de impeachment, na Câmara Municipal, contra o prefeito de Guarulhos, Guti (PSD).

De acordo com a oposição, Guti deve ter o mandato cassado por descumprir decisões judiciais para extinguir a Proguaru. Eles alegam que a empresa de economia mista não poderia demitir os trabalhadores, que teriam estabilidade até 6 de janeiro, de acordo com decisão do Tribunal Regional do Trabalho. O grupo argumenta que a permissão conferida pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), de quitar a estabilidade dos funcionários, não justifica as demissões.

O líder do Governo no Legislativo, Gilvan Passos (PSD), avalia que a Proguaru atendeu todas as recomendações judiciais, inclusive a do TST. Ele diz que a oposição gera uma “falsa expectativa” nos funcionários de que a empresa pode não ser fechada. “A nossa preocupação é com os trabalhadores. Eles estão sendo contratados pelas novas empresas e isso é o mais importante.”

O presidente da Câmara Municipal, Fausto Miguel Martello (PDT), vai analisar o pedido da oposição. A expectativa é que ele rejeite a denúncia. Se acatar, será formada uma Comissão Especial para avaliar a criação de uma Comissão Especial de Inquérito.

O GRU Diário questionou a Prefeitura sobre o pedido de impeachment, mas não teve retorno até a conclusão desta reportagem.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM