fbpx
PUBLICIDADE

Justiça questiona governo federal e pode suspender aumento de gás e combustíveis

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Ação com participação de sindicato de Guarulhos solicitou suspensão do aumento em ação judicial

A juíza federal Flávia de Macedo Nolasco, da 9ª Vara Federal de Brasília, questionou a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Petrobras e deu um prazo de 72 horas para que ambas expliquem o aumento do preço dos combustíveis anunciado na quinta-feira (10).

A cobrança de explicações feita pela juíza ocorre em uma ação que pede a suspensão do aumento e foi movida pela Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas.

A frente conta com o apoio 235 deputados e 22 senadores. Também fazem parte da ação o o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Guarulhos, o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas e o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Jundiaí.

No anúncio feito nesta semana, a estatal informou um aumento de 24,9% no diesel nas refinarias, 18,8% na gasolina e 16,1% no valor do gás liquefeito de petróleo (GLP). O reajuste valeria a partir desta sexta-feira (11) e donos de postos já aproveitaram para aumentar o preço do combustível, cujo litro começa a ultrapassar R$ 7.

Após o anúncio, entidades que representam os caminhoneiros também prometeram paralisações pelo país.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM