fbpx
Campanha Governo do Estado Doação de Órgãos
PUBLICIDADE

Justiça proíbe Renan Calheiros de assumir como relator na CPI da Covid

Renan Calheiros
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Pedido foi feito pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP) sob argumento de que senador é pai de um governador

O juiz Charles Renaud, da 2ª Vara Federal de Brasília, determinou, nesta segunda-feira (26), que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) está impedido de assumir o cargo de relator na Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19.

O juiz acatou pedido da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) sob argumento de que Renan pode atrapalhar as apurações da CPI que também vai investigar governadores, já que ele é pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB).

Na sexta-feira (23), Renan já tinha se declarado parcial para tratar qualquer tema na CPI que envolva Alagoas.

“Não relatarei ou votarei. Não há sequer indícios quanto ao estado, mas a minha suspeição antecipada é decisão de foro íntimo”, escreveu o senado em suas redes sociais.

O senador também usou as redes sociais para repudiar a decisão da Justiça de Brasília:

“1) A decisão é uma interferência indevida que subtrai a liberdade de atuação do Senado. Medida orquestrada pelo governo Jair Bolsonaro e antecipada por seu filho. A CPI é investigação constitucional do Poder Legislativo e não uma atividade jurisdicional.

2) Nada tem a ver com Justiça de primeira instância.
Não há precedente na história do Brasil de medida tão exdrúxula como essa. Estamos entrando com recurso e pergunto: por que tanto medo?”

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM