fbpx
PUBLICIDADE

Guarulhos registra nove casos suspeitos de intoxicação pela K2: a “supermaconha”

Droga k2 supermaconha
Foto: Reprodução Kelley McCall
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Maior parte dos casos envolve adolescentes de 12 a 17 anos. Droga matou um garoto em Diadema

A Secretaria de Saúde de Guarulhos registrou 9 casos de suspeita de intoxicação pelo entorpecente k2, droga sintética conhecida como a “supermaconha”.

De acordo com a Prefeitura, a K2 ou Spice, como também é conhecida, é uma mistura de produtos químicos industriais com moléculas sintéticas de tetrahidrocanabinol, o THC, substância responsável pelos efeitos psicoativos e neurotóxicos da maconha.

A droga tem alertado autoridades em todo o mundo em razão dos fortes sintomas de ansiedade, pânico, paranoia e alucinações que os usuários tendem a apresentar após seu uso. Agitação, convulsões, náuseas, vômitos, hipertensão arterial, incapacidade de comunicação e tendência de cometer atos violentos também são reações características dos usuários da K2.

Além disso, já foram observadas em usuários da maconha sintética complicações graves como rabdomiólise (degradação do tecido muscular), lesão renal aguda, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, pneumotórax (colapso do pulmão) e exacerbação de asma.

Em entrevista ao site de notícias G1, o toxicologista Maurício Yonamine revelou que a ciência ainda não descobriu os riscos do uso prolongado da K2, mas que existem diversos relatos de hospitalizações no mundo associadas ao consumo dessa droga. Segundo Yonamine, professor do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, um dos principais efeitos da droga, produzida em laboratório e vendida por traficantes, é a psicose, perturbação mental que resulta em dificuldade de diferenciar o que é real do que não é.

A droga também ficou conhecida no território brasileiro por conta da morte de uma garoto de 12 anos, em Diadema, após o uso da substância.

Combate à K2 na cidade

Em Guarulhos, adolescentes de 12 a 17 anos são responsáveis por 56,2% das notificações por intoxicação exógena de K2, enquanto que adultos de 18 a 25 anos correspondem a 25% e pessoas de 26 a 59 anos a 18,8%.

Nesta segunda-feira (27) a Secretaria da Saúde articulou uma capacitação para os serviços públicos e privados de urgência e emergência a fim de alertar os profissionais de saúde quanto ao aumento no número de notificações por intoxicação no município.

A pasta, tendo em vista o cuidado e a assistência em saúde às pessoas em sofrimento mental em razão do uso de álcool, drogas e substâncias psicoativas, informa que os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) acolhem de forma espontânea, sem a necessidade de agendamento ou encaminhamento, todo munícipe que desejar atendimento com foco no tratamento da dependência química.

Serviço

  • CAPS II – Infantojuvenil Recriar: para crianças e adolescentes, localizado na rua Michael Andréas Kratz, 111, Macedo. Telefones: (11) 2440-0336 e 2229-8746.
  • CAPS III AD – Álcool e Drogas Arnaldo Bravo Brant: para adultos, localizado na rua Joaquim Miranda, 298, Vila Augusta. Telefones: (11) 2422-0123 e 2414-0240.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM