fbpx
PUBLICIDADE

Guarulhos inicia projeto-piloto de audiências de custódia virtuais

Foto: Unsplash
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Medida começa a valer nesta terça-feira (2) e abrange as comarcas de Arujá, Santa Isabel e Mairiporã

O projeto-piloto de audiências de custódia virtuais na sede da Circunscrição Judiciária de Guarulhos, que também abrange as comarcas de Arujá, Santa Isabel e Mairiporã, começa nesta terça-feira (2). Segundo o TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo), a Corregedoria Geral da Justiça de São Paulo (CGJ) publicou, na sexta-feira (29), o Provimento CG nº 4/21, que instaura o projeto-piloto válido para todas as modalidades prisionais inclusive temporárias, preventivas, definitivas e prisões civis. 

Nas audiências de custódia virtuais o preso também terá garantido o direito de entrevista prévia e reservada com seu advogado ou defensor, que pode ser presencialmente, por videoconferência, telefone ou qualquer outro meio de comunicação. 

Durante a realização de sua oitiva (quando as partes de um processo judicial são ouvidas, sejam os réus ou testemunhas), ele permanecerá sozinho na sala em que se realizar a videoconferência para assegurar sua privacidade, ressalvada a possibilidade da presença do advogado ou defensor. Essa condição será verificada com o uso concomitante de mais de uma câmera no local ou de câmeras 360 graus, para permitir a visualização integral do espaço durante o ato, entre outras medidas.

A realização deverá seguir orientações da CGJ já existentes para as demais audiências virtuais e a sistemática estabelecida para audiências de custódia. No caso de impossibilidade técnica ou prática, as audiências que não forem realizadas durante os plantões de finais de semana e feriados deverão ocorrer no primeiro dia útil subsequente, sem prejuízo do imediato exame da regularidade da prisão em flagrante.

A Corregedoria já havia editado provimento para implementação das custódias no Estado em 2020, que foi suspenso porque o Poder Executivo informou, por sua Secretaria de Segurança Pública, que as unidades policiais não estão prontas para a realização das audiências de custódia nos moldes estabelecidos pelo Conselho Nacional de Justiça.

 “A Secretaria sugeriu início de piloto em Guarulhos, uma vez que essa localidade já conta com a estrutura necessária. Para dar início o mais rápido possível na retomada das audiências de custódia, editamos o novo provimento para a execução do projeto-piloto”, afirma o corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Anafe.

O provimento estabelece, ainda, que a audiência de custódia virtual terá expansão gradual para o Estado, em cronograma que será definido pela CGJ conforme disponibilização estrutural da Secretaria de Segurança Pública. Enquanto isso, fica mantido o exame dos autos de prisão em flagrante.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM