PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Grevistas da Proguaru pedem cassação do prefeito

Foto: Bruno Netto/CMA
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Expectativa é que a solicitação não seja aceita pelo presidente da Câmara Municipal

Os funcionários da Proguaru, Eliana Maria e Raul Nascimento, protocolaram na tarde desta quarta-feira (13), na Câmara Municipal, pedido de impeachment do prefeito de Guarulhos, Guti (PSD), pela contratação da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) sem licitação.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Eliana e Raul representam os grevistas da empresa, que se posicionam contra o fechamento da Proguaru. A paralisação entra na quarta semana, com adesão estimada de 6% dos 4,7 mil funcionários, segundo último levantamento divulgado pela companhia.

Parecer da Fipe aponta estado de falência da Proguaru, o que foi utilizado por Guti para decretar o fechamento da empresa, que deve demitir todos os funcionários até novembro.

Os grevistas, que integram a Comissão de Trabalhadores da Proguaru, também criticam o resultado do relatório, que apontou redução nos valores cobrados.

Questionada, a Prefeitura informou que não vai se posicionar sobre o pedido dos grevistas.

Na Câmara, o pedido não teve alarde. Regimentalmente, o pedido só terá andamento se houver autorização do presidente da Câmara Municipal, Fausto Miguel Martello (PDT). Se isso ocorrer, será aberta uma Comissão Especial para convocar Eliana, Raul e a defesa do prefeito para avaliar se o pedido é válido. Depois, com aprovação da comissão e do plenário, o processo de impeachment seria tocado por uma Comissão Processante.

A expectativa é que Martello não acate o pedido dos grevistas. O entendimento é que, como a base governista é maioria na Câmara, a solicitação não passaria pelo crivo da Comissão Especial.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE