PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Governo de SP confirma primeiro caso da variante britânica em Guarulhos

Foto: Divulgação/Fiocruz
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Não há registros na cidade da cepa do Amazonas (P1)

Guarulhos tem um caso confirmado da variante britânica do novo coronavírus, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde desta quarta-feira (3) obtidos com exclusividade pelo GRU Diário. A cepa encontrada na cidade é autóctone, quando a pessoa contrai o vírus no próprio estado.


A secretaria informou ao GRU Diário que este é o primeiro caso da variante confirmada em Guarulhos desde o início da pandemia. Não há registros na cidade até agora da cepa do Amazonas (P1). Há também cinco confirmações da variante britânica na capital.

“Não há comprovações científicas de que sejam variantes mais transmissíveis ou provoquem quadros mais graves, nem evidências referentes à capacidade de resposta imune das vacinas disponíveis. Pesquisadores em todo o mundo estudam o comportamento da pandemia e as mutações do vírus (SARS-CoV-2)”, afirmou a secretaria.

As informações sobre a unidade de saúde onde o caso foi identificado não foram divulgadas pela Secretaria da Saúde. Segunda a pasta, cabe à Prefeitura de Guarulhos tais dados.

Até o momento, em todo o estado de SP foram computados 38 casos autóctones confirmados da cepa da Manaus nos seguintes locais: 

1 na capital
10 em Jaú
12 em Araraquara
4 em Lençóis Paulista
3 em Lins
1 em Pederneira
2 em São José dos Campos
3 em Bauru
1 em Bocaina
1 em Dois Córregos

A Prefeitura de Guarulhos afirmou ao GRU Diário que não foi notificada sobre o caso da variante britânica confirmado na cidade.

Medidas de segurança

Em nota, a Secretaria Estadual da Saúde afirma que a confirmação de variantes ocorre por meio de sequenciamentos genéticos realizados por laboratórios como o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Soma-se a isso o trabalho de Vigilância Epidemiológica para investigação dos casos, como históricos de viagens e contatos. Esta identificação contribui para as estratégias de vigilância, não sendo necessário do ponto de vista técnico e científico sequenciamentos individualizados uma vez confirmada a circulação local da variante, como já ocorre com a britânica e a amazonense.

A secretaria reforça que as medidas já conhecidas pela população seguem cruciais para combater a pandemia do coronavírus, como o uso de máscara, que é obrigatório em SP, higienização das mãos (com água e sabão ou álcool em gel); distanciamento social; e a vacinação contra covid-19, respeitando-se o cronograma e os públicos-alvo vigentes, conforme estabelecido pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) e pelo PEI (Plano Estadual de Imunização) do governo de São Paulo.

Matéria atualizada nesta sexta-feira (5) às 12h28

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM