fbpx
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Fama não é tudo

Criança sozinha e triste
Foto: Divulgação
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

“Quando a sua “brincadeira” constrange, humilha e machuca o outro de alguma forma, você está na verdade cometendo um ato de desrespeito.” (autor desconhecido)

Recentemente, duas influencers resolveram presentear crianças negras com bananas e macacos de pelúcia. O Ministério Público já recebeu quase 700 denúncias deste caso e é importante lembrar que fazer piadas ou brincadeiras que podem ofender alguém, mesmo que não seja sua intenção, nunca é aceitável. E quem escolhe fazê-lo deve estar ciente das consequências desta atitude.

“Quando a sua “brincadeira” constrange, humilha e machuca o outro de alguma forma, você está na verdade cometendo um ato de desrespeito.” (autor desconhecido)

Infelizmente, algumas pessoas buscam fama e, em nome disso, ridicularizam as minorias e ultrapassam limites causando sérios prejuízos a quem foi vítima desta exposição. 

Sabemos que a agressão, a humilhação e a exposição ao ridículo podem causar danos graves à autoestima dos indivíduos. Estes danos são particularmente severos em crianças por estas se encontrarem em fase de desenvolvimento. Sentimentos de inadequação social e desvalorização podem levar a distúrbios na aprendizagem, sintomas físicos e comportamentos desajustados.

Que tal contribuir com atitudes que podem fortalecer a sociedade e promover o rompimento do ciclo da violência?

Nós, do Núcleo Espiral, trabalhamos diariamente para contribuir com a construção de uma sociedade com menos violência. Vejam aqui algumas dicas que podem ajudar nesta construção:

  • 1) Incentive a diversidade e a inclusão – Por meio da promoção da cultura de tolerância e compreensão. Encoraje todos a se sentirem confortáveis e bem-vindos na comunidade;
  • 2) Apoie a educação, as atividades culturais e esportivas – Isso ajuda a criar oportunidades para as minorias avançarem e a garantir que elas tenham habilidades que possam ajudá-las a serem protagonistas em suas vidas;
  • 3) Apoie o desenvolvimento social e econômico – Ter oportunidades de empregos bem remunerados ajuda a melhorar a qualidade de vida geral na comunidade;
  • 4) Promova modelos positivos – Ter referências positivas de pessoas bem-sucedidas, que se pareçam com você, mostra que podemos chegar em lugares diversos ao qual nos propusemos a sonhar;
  • 5) Ajude a criar um ambiente seguro e de apoio – Garanta a segurança na comunidade de modo que as minorias e as pessoas em situação de vulnerabilidade possam se sentirem seguras e confortáveis para relatar quaisquer incidentes que ocorram.

Contribua com exemplos positivos e promova ações que inspire outras pessoas a se fortalecerem! Toda brincadeira é coisa séria e algumas pessoas ainda têm dificuldades em entender o limite de uma “piada”. Mas podemos educar e conscientizar para construir um futuro mais respeitoso e inclusivo. Juntos, podemos fazer a diferença.

*Juliana Ayres, diretora de relações institucionais do Núcleo Espiral. Empresária com experiência nas áreas financeira, de qualidade e comercial, atua na ONG para viabilizar projetos e captação de recursos.

*O Núcleo Espiral, há mais de 14 anos, dedica-se à educação, pesquisa e aos estudos contra a prática de violência ou tratamento degradante à pessoa humana, em especial, à criança e ao adolescente.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM