fbpx
PUBLICIDADE

Empresas negociam instalação em Guarulhos e devem gerar 2,5 mil empregos

Cidade Satélite
Foto: Divulgação/PMG
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Segundo Prefeitura, companhias estão em negociação com a Secretaria de Desenvolvimento

Empresas que negociam a instalação de uma fábrica em Guarulhos até o final de 2023 devem gerar cerca de 2,5 mil novas oportunidades de emprego.

A Prefeitura informou em um comunicado que são empreendimentos dos mais variados setores os quais os representantes dialogam com a Secretaria de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação (SDCETI) a fim de obter as licenças necessárias para sua instalação.

Em 2020, mesmo com o início da pandemia, os três setores econômicos mais importantes da cidade, serviços, comércio e indústria, apresentaram crescimento na quantidade de estabelecimentos de 5,72%, 5,25% e 5,06%, respectivamente.

Em 2021 os empregos formais na cidade aumentaram 3,6% quando comparados com o ano de 2020, sendo que somente a indústria de transformação apresentou um crescimento de 5,2%, passando de 86.166 para 90.658 postos de trabalho.

O setor comercial aumentou de 73.383 para 78.110 na quantidade de vagas de trabalho, um acréscimo de 6,4%. Já o setor de serviços, o que mais emprega na cidade, passou de 136.023 para 140.966, um aumento de 3,6%. Esses números indicam que, mesmo em meio à pandemia, a cidade de Guarulhos permaneceu dinâmica e atraente ao investimento privado e à geração de empregos.

Apesar dos bons resultados, ainda existem empresas que optam por deixar Guarulhos, caso da Pepsico, que confirmou o fechamento da fábrica da Toddy, uma das mais antigas na cidade, e que deve impactar mais de 300 funcionários.

Setor industrial como um dos melhores para se investir

De acordo com o ranking Melhores Cidades para Fazer Negócio, publicado pela revista Exame em novembro de 2021, Guarulhos é uma das melhores cidades para se investir no setor industrial no país. O município subiu 50 colocações na comparação com 2020 e hoje está na 18ª posição.

O estudo considerou os dados oficiais mais recentes dos municípios com mais de 100 mil habitantes. Entre os indicadores analisados estão a evolução dos setores, a oferta concorrente, o impacto da pandemia, a vacinação contra a covid-19, a demanda e a infraestrutura complementar.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM