fbpx
PUBLICIDADE

Debate ao Governo do Estado é marcado por ataques entre os candidatos

Debate governadores Band
Foto: Reprodução/Youtube/Band
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

Haddad, Tarcísio e Rodrigo trocam farpas na Band

O primeiro debate entre os candidatos ao Governo do Estado de São Paulo, na noite deste domingo (7), teve momentos de tensão e ataques entre os três principais candidatos, Fernando Haddad (PT), Tarcísio de Freitas (Republicanos) e Rodrigo Garcia (PSDB), na Band TV.

A briga começou logo na primeira pergunta entre Haddad e Tarcísio. O ex-ministro da Infraestrutura pediu aos telespectadores para pesquisassem no Google a expressão “pior prefeito de São Paulo”. O petista rebateu ao pedir às pessoas procurarem o que aparece com o termo “genocida”, em referência ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e os mais de 600 mil mortos na pandemia.

Na sequência, Haddad disse que Rodrigo foi demitido pelo ex-governador Mario Covas (PSDB), na década de 1990, para apoiar o prefeito Paulo Maluf. O tucano retrucou que foi Haddad que pediu apoio a Maluf para se eleger à Prefeitura em 2012.

Os candidatos Vinicius Poit (Novo) e Elvis Cezar (PDT) também criticaram as gestões do PSDB, no Estado, e do PT e de Bolsonaro, no Governo Federal.  

No segundo bloco, questionado sobre a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), Haddad afirmou que não irá privatizar a empresa. Já Tarcísio não descartou efetivar a medida. Rodrigo disse que o Estado conseguiu ajudar as famílias paulistas carentes.

No terceiro bloco, Haddad disse que o PSDB conseguiu construir hospitais em 28 anos de governo, mas há muitos problemas no sistema de regulação e na marcação de cirurgias eletivas. Rodrigo se defendeu ao citar a modernização das AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) e a contratação de 78 mil cirurgias à iniciativa privada.

Em seguida, o confronto foi entre Tarcísio e Rodrigo. O candidato indicado por Bolsonaro disse que o governo do tucano ficou marcado por “gestão da redução dos negócios, do fechamento de comércios, afastamento de crianças em sala de aula, que não levou a Linha 2 para Guarulhos”.

Rodrigo não deixou por menos. Disse que não tem padrinho político, diferente de Tarcísio, que nem morava em São Paulo e agora disputa a eleição. Comentou ainda que quando ministro da Infraestrutura, Tarcísio colocou São Paulo em último lugar entre os estados que recebem investimentos para construção de estradas. O tucano afirmou ainda que a gestão Bolsonaro reduziu recursos a São Paulo na educação e na segurança pública.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM