PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

Caso Mari Ferrer: vídeo revolta a internet e Gilmar Mendes se pronuncia: “humilhação”

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Foto: Reprodução

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

Ministro do STF pediu apuração da conduta dos envolvidos no vídeo; órgãos solicitam esclarecimentos

O vídeo da audiência da influenciadora digital Mariana Ferrer, de 23 anos, revoltou a internet nesta terça-feira (3), que levantou as hashtags #justiçapormariferrer #estuproculposo. O conteúdo foi publicado pelo jornal “The Intercept Brasil”.

As imagens mostram o advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, que defende o réu André de Camargo Aranha, humilhando Mariana. E ainda outros três participantes, entre eles o juiz do caso, Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, omissos a tudo o que acontecia. 

A influenciadora acusa o empresário André de Camargo Aranha de estupro, ocorrido dentro de uma casa noturna em dezembro de 2018, em Jurerê Internacional (Florianópolis).

O acusado virou réu no processo movido por Mariana e foi absolvido em primeira instância, em setembro deste ano. Ele foi considerado inocente após o promotor Thiago Carriço de Oliveira considerar que não havia como comprovar que Mariana não tinha capacidade para consentir o ato sexual.

O caso é marcado por troca de promotores e mudança no depoimento de Aranha, que inicialmente negou qualquer contato físico com Mariana, mas voltou atrás após o um teste de DNA comprovar que o seu sêmen estava nas roupas da vítima, uma das provas do estupro.

De acordo com o “The Intercept Brasil”, entre as argumentações do promotor, a tese de “estupro sem intenção” ou “estupro culposo”, que não consta na legislação, foi acatada pelo juiz, absolvendo Aranha, em setembro deste ano. O termo “estupro culposo”, usado pelo jornal, repercutiu nas redes sociais por não constar na sentença, se tratando de uma interpretação. A defesa de Mariana recorreu da decisão.

Em trecho do vídeo, o advogado Cláudio Gastão da Rosa humilha e desqualifica Mariana por diversas vezes: “peço a Deus que meu filho não encontre uma mulher que nem você”, disse. E mostra fotos de trabalhos da Mariana para desqualificá-la, dizendo que são “posições ginecológicas”.

Mariana pede que a respeitem: “Eu gostaria de respeito, doutor, excelentíssimo. Eu estou implorando por respeito, no mínimo. Nem os acusados, bem os assassinos são tratados da forma que eu estou sendo tratada, pelo amor de Deus, gente”.

Cena da audiência divulgada pelo “The Intercept Brasil”

O ministro Gilmar Mendes, do Superior Tribunal Federal, se manifestou nas redes sociais e pediu que a conduta dos envolvidos na audiência seja apurada. 

A OAB de Santa Catarina e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos solicitaram esclarecimentos ao advogado e ao TJ de Santa Catarina sobre a sua conduta durante o interrogatório. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abriu investigação sobre conduta de juiz que inocentou empresário em Santa Catarina.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.
TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

PUBLICIDADE

Error: Embedded data could not be displayed.

PUBLICIDADE