PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Bolsonaro diz que vai vetar fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões

Bolsonaro
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

Veto pode causar um desgaste entre Bolsonaro e sua base aliada

O presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) disse que pretende vetar o aumento do fundo eleitoral de R$ 1,7 bilhão da eleição de 2020 para R$ 5,7 bilhões em 2022, aprovado pelo Congresso Nacional na quinta-feira (15).

“A tendência nossa é não sancionar isso daí em respeito aos trabalhadores, ao contribuinte brasileiro”, disse o presidente em entrevista exclusiva para a Rádio Nacional da Amazônia, que teve trechos exibidos no programa A Voz do Brasil desta segunda-feira (19).


O presidente acredita que a rejeição da medida, embora seja algo que desagrade sua base de aliados na Câmara e no Senado, não será um impedimento para seu governo.

“Afinal de contas, eu tenho que conviver em harmonia com o Legislativo. Nem tudo que eu apresento ao Legislativo é aprovado e nem tudo que o Legislativo aprova, vindo deles, eu tenho obrigação de aceitar do lado de cá. A tendência nossa é não sancionar isso daí em respeito ao trabalhador, ao contribuinte brasileiro”, declarou Bolsonaro em outro trecho da entrevista.

Se não vetar a proposta em até 15 dias depois da aprovação, realizada na quinta-feira (15). o valor que foi aprovado para o fundo partidário dento da Lei das Diretrizes passa a valer mesmo sem a sanção do presidente.

A aprovação do valor estratosférico causou problemas até mesmo para os filhos do presidente e de seus aliados mais próximos, como a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

Nesta segunda-feira (19), o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse que se a decisão fosse dele, ele vetaria.

(Com informações da Agência Brasil)

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM