fbpx
Campanha Governo do Estado Doação de Órgãos
PUBLICIDADE

Bispo de Guarulhos diz que interesses políticos mataram Jesus

Foto: Reprodução/Facebook/Catedral de Guarulhos
Compartilhe
PUBLICIDADE
Previous slide
Next slide

“Não precisamos concordar, mas amar o diferente”, afirmou dom Edmilson Amador Caetano, na Sexta-feira da Paixão

Em uma Catedral Nossa Senhora da Imaculada Conceição, no Centro, sem a presença dos fiéis, o bispo de Guarulhos, dom Edmilson Amador Caetano, presidiu a celebração da Sexta-feira da Paixão, na tarde de hoje (2), que foi transmitida pelas redes sociais. Ele afirmou que os interesses políticos – que separam os homens – foram responsáveis pela morte de Jesus e que, ainda em nossos dias, essas divisões persistem.

Pelo segundo ano seguido, os fiéis tiveram uma Sexta-feira Santa diferente. Não puderam encher as mais de 200 igrejas na cidade, beijar a Cruz e fazer as procissões pelas ruas. Na oração dos fiéis, houve uma prece especial pelos enfermos da covid-19, por força aos trabalhadores da Saúde, às famílias enlutadas e que Deus acolhesse em sua salvação as vítimas fatais do coronavírus.

De acordo com o bispo, os interesses políticos causam grande divisão na sociedade, o que hoje é alavancado pelas redes sociais. “Parece que existe um Cristo para cada um”, reclamou. Ele insistiu que o Filho de Deus morreu pela salvação de todos, inclusive dos que não acreditam Nele. “Não devo negar minha verdade. Não precisa concordar com o outro, mas amar o diferente, o diverso”, orientou.

Dom Edmilson explicou que os discípulos esperavam que Jesus instituísse o seu Reino na Terra e resolvesse os problemas dos judeus, que eram oprimidos pelos romanos. Enquanto os líderes religiosos se submetiam a Roma para manter seus privilégios, os fariseus, saduceus e zelotas não reconheciam os ensinamentos de Jesus. “Aquilo que causa a morte de Jesus, politicamente falando, é o egoísmo no coração do homem, o pecado.”

Na opinião do bispo, os problemas causados pelas divisões políticas sempre foram constantes na história da humanidade. Ao citar a Campanha da Fraternidade deste ano, ele orientou os fiéis a amarem todas as pessoas.

Amanhã (3), os católicos celebram a Vigília Pascal, com missas transmitidas pelas redes sociais das paróquias. No Domingo de Páscoa, as celebrações seguem sem a presença dos fiéis, mas eles poderão ir às igrejas para receber a eucaristia.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
Previous slide
Next slide
Compartilhe
VEJA TAMBÉM